sexta-feira, junho 09, 2006

APELA SISTEMA DE ADMISSÃO OA EM DEBATE NA UM SETÚBAL







































Mapa da localização da Universidade Moderna de Setúbal :

Comments on "APELA SISTEMA DE ADMISSÃO OA EM DEBATE NA UM SETÚBAL"

 

Anonymous pedro silva said ... (sexta-feira, 09 junho, 2006) : 

Aproveito daqui para felicitar publicamente o Diogo pela sua coragem de se assumir publicamente como ARQUITECTO.

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 09 junho, 2006) : 

É de salutar a UM pela sua disponibilidade.

 

Anonymous arq! said ... (sexta-feira, 09 junho, 2006) : 

N se trata de uma questão de coragem, afinal o diogo é arquitecto .

 

Anonymous pedro silva said ... (sexta-feira, 09 junho, 2006) : 

Ninguém duvida que o Diogo é arquitecto, tal como muitos outros.

Agora o que normalmente acontece é que aqueles que não estão inscritos na Ordem não se assumem como arquitectos.

Tal como todos falam de pôr a Ordem em tribunal e apenas uns quantos foram capazes de o fazer. Todos o poderiam ter feito. Todos poderiam ter dado a cara em manifestações contra a O.A., e no entanto só alguns o fizeram e foram quase sempre os mesmos.

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 10 junho, 2006) : 

Cuidado! Se a ordem vê esse anúncio em que o Diogo se assume como arquitecto, ainda lhe move uma queixa crime no DIAP.
A ORDEM tem a mania que só os membros é que são arquitectos.
Somos todos ARQUITECTOS!

Tosse Cavernosa, ARQUITECTO

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 10 junho, 2006) : 

Sobre o assunto de quem não está inscrito na Ordem não é Arquitecto:
Sou mais uma pessoa que se assume como Arquitecta no meu dia-a-dia de trabalho, desde á três anos, data de conclusão da minha Licenciatura.
Não tenho culpa que exista uma Ordem que através de sucessivas ilegalidades e perseguições me impeça de me inscrever e ter um numero de associado! Contra isso já está um processo em tribunal, para que antes da Ordem poder ousar processar-me, foi processada primeiro!
Aqueles que estão à espera que o problema se resolva pelo esforço de outros deviam acreditar mais em si mesmos, serem Arquitectos e não terem medo de acusações ilegais!
Quem está a proceder mal é a Ordem, cada um de nós fez tudo o que podia (legalmente) para ter direito a exercer!
Todos os dias, a todas as horas, sou Arquitecta, de consciência tranquila, sem inscrição na OA ;)

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 10 junho, 2006) : 

À anónima anterior:
Parabéns pela forma como lidas com este assunto. Isso é que é!
Dos fracos não reza a história...
Já agora, já trabalhas também?

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 10 junho, 2006) : 

Tal como a colega anterior, também me intitulo e procedo como arquitecto desde o dia em que saíu a última nota do meu curso e que me deu o direito a isso.
Fiz todo o percurso a que estava obrigado pelo estado português para que fosse arquitecto. Se as universidades não formam arquitectos -em cursos que o Estado certifica - quem é que forma?...É a Ordem?...Estou farto de ser gozado e é por isso que tenho um processo em tribunal contra a Ordem.

 

Anonymous Anónimo said ... (domingo, 11 junho, 2006) : 

Exacto! Eu também! Uso o título de arquitecto, entrego cartões de visita com a minha categoria profissional, e possivelmente faço mais arquitectura do que muitos que se dizem arquitectos, apesar de desde 2003 me estar "barrada" a inscrição como memebro efectivo, na (Des)Ordem à conta do R.I.A. e do R.A.
E para isso basta olhar para o coordenador do atelier onde trabalho, que o homem, afinal arquitecto inscrito, é das piores nódoas que devem existir no panorama dos profissionais de arquitectura. Mas este está lá, inscrito na O.A., e a dar estágios, sem fazer e perceber "um boi" de arquitectura, e usando o trabalho dos competentes e mal remunerados estagiários que para ele têm a (in)felicidade de trabalhar. E isto acontece "aos pontapés", como todos sabemos e na O.A. também sabem. É que com um sistema de admissão como este, os srs. ditos arquitectos "inscritos", podem sempre colmatar a sua falta de profissionalismo, competência e eficácia, com esta "carne fresca" que sai todos os anos das faculdades. Mão-de-obra abundante, barata ou gratuita, muito qualificada e cheia de vontade de mostrar o que valem!
E depois obrigam-nos a fazer um estágio e um exame de admissão que "eles" nunca fizeram, para podermos mostrar o que valemos??? Então e alguns que até são membros efectivos, mas de arquitectura pouco ou já nada sabem (ou não se lembram, lol), e não acompanharam o "evoluir" dos tempos? Será que estes maus profissionais também não deveriam mostrar o que realmente valem?
Por toda esta farsa, é que o Processo que mantenho em tribunal, com um grupo de colegas, continuará até ao desfecho final (pena a treta da justiça neste país ser o que é), e tal como muitos, uso o título de arquitecto, que afinal é aquilo que sou! E se ainda não tenho a minha inscrição foi porque aqueles "abutres" da O.A. não me o permitiram fazer, sob pretexto de um regime de admissão que todos sabem (até eles) padecer de enormes ilegalidades e insconstitucionalidades mas que teimam em manter, pois há que "cortar as pernas" à concorrência que podemos representar! E depois venham-me cá falar que o fazem em nome de uma cada vez melhor arquitectura e pela defesa da profissão!!! Só se for, literalmente, a defesa da "profissão" deles...
Parabéns ARQUITECTO Diogo, continua o grande trabalho que tens tido, e abraço! E saudações para todos os colegas ARQUITECTOS, não inscritos, vamos até ao fim!

 

Anonymous Magg said ... (domingo, 11 junho, 2006) : 

Eu sou Arquitecta, COM "A" GRANDE PESSOAL E DE BOCA CEHIA O DIGO... mas estou farta de chorar por esta merda.. MALDITA A HORA EM QUE DECIDI ESTUDAR AQUILO Q EU AMAVA E AMO.. e sofrer aquilo q estou a sofrer.. discriminação, desemprego, dificuldades financeiras, tristeza, injustiça, raiva, odio.. TUDO O QUE POSSAM IMAGINAR.. ODEIOOOOOOOOOOOOOOO ESTE PAÍS..

porra pá, só quero trabalhar, só quero projectar, só quero desenhar, imaginar, criar, sonhar.. CONSTRUIR!!! Só quero sentir o cheiro do cimento e aprender com os pedreiros, os electricistas, os engenheiros.. só isso..


PORQUE É QUE NAO ME DEIXAMMMMMMMM??? Porque é que nao tenho uma oportunidade..

 

Anonymous João Almeida said ... (segunda-feira, 12 junho, 2006) : 

Caros colegas,

a força que nos move, é quase tão forte quanto a força que faz girar o mundo e também tão forte quanto a força que a Ordem dos Arquitectos tem e pensa ser única. Graças ao esforço dedicado de todos Vós e em especial do Arquitecto Diogo Corredoura estes nossos dias irão certamente ter um fim. Mas que isto seja apenas uma etapa, pois esta é meramente uma batalha de uma guerra que finda acabar. Seguir-se-ão os direitos dos estagiários e os deveres das Entidades de Acolhimento, e a escravatura existentes em torno do Membro Estagiário. Auguro um bom futuro. Força para todos, na vida e na Profissão.

João Almeida

 

Anonymous Khora said ... (segunda-feira, 12 junho, 2006) : 

MEUS COMPANHEIROS

Ponto nº 1
...e para finalizar um ponto várias vezes descrito em cima:

Sou arquitecto de 1999, porque consegui um diploma (reconhecido pelo ministério do Ensino Superior) que me confere a capacidade de ser arquitecto. Não é um organismozinho, conduzido por interesses de terceiros que me diz se sou ou não arquitecto.
Esse mesmo (meu e vosso) diploma é reconhecido pela união europeia, logo todos com diplomas são arquitectos.

Ponto nº2

Não acho bem que a UM se meta no assunto, já que é parte interessada no assunto. A UM ministra cursos de arquitectura, logo existe aqui um conflito de interesses que não beneficia nem credibiliza nenhuma das partes.

Ponto nº3

Para quando começar a criar uma lista para concorrer à ordem, já que só assim se poderá resolver alguma coisa. Os representantes eleitos não deveriam sugar os recursos da ordem, isto é salários milionários nunca mais. È muito mau pensar que só com muito dinheiro se consegue dedicação, baixem os salários dos representantes superiores da ordem e diminuam os custos nos cursos de formação que beneficiam todos os arquitectos.

Alea jacta est

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 12 junho, 2006) : 

E SE CRIASSEMOS UM SINDICATO DOS ARQUITECTOS, TOTALMENTE SEPARADO DA ORDEM.... O QUE SERÁ PRECISO PARA ISSO?

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 12 junho, 2006) : 

Ou uma associação?

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 12 junho, 2006) : 

Ou uma associação?

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 12 junho, 2006) : 

Para criar um sindicato é só criar os estatutos e pagar uma singela quantia de 350€, aproximadamente...
Mas de que vale?
Os estatutos não se podem sobrepor à lei...
Já existe a ordem...

 

Blogger BiPri said ... (segunda-feira, 12 junho, 2006) : 

A hermenêutica da hifenização continua longe do que já por aqui se escreveu e de todo o trabalho que tem vindo a ser feito.

Em primeiro lugar, se tantos se assumem como arquitectos, porque escrevem neste e noutros blogs sob a capa do anonimato?

Em segundo lugar, não foi a Universidade Moderna de Setúbal a organizar a sessão de esclarecimento, foi o Núcleo de Estudantes de Arquitectura. Como têm o azar (ou a sorte!) de estudar nas instalações da escola, foi lá que se realizou a sessão.

Em terceiro lugar, não se confundam os interesses que algumas pessoas ou instituições têm (porque eu separo muito bem as pessoas das instituições) com os interesses dos estudantes e licenciados.

Em quarto lugar, precisamos é de estar todos do mesmo lado e não de conversas divisionistas e outras lógicas da batata, como a estafada guerra norte-sul, públicas-privadas, a-minha-escola-é-melhor-do-que-a-tua e outros que tais.

Em quinto e último lugar, a sessão de esclarecimento na UMS correu muito bem e os estudantes vão fazer uma coisa na próxima reunião com a Direcção da escola e o Conselho Científico que muitos estudantes já deviam ter feito dentro das suas próprias escolas: questionar o que raio andaram estas eminências a fazer durante estes últimos 5 anos com o dinheiro dos nossos impostos e/ou das nossas propinas, sobretudo quando desde 2000 se acusa o sistema de ilegal e inconstitucional?

Só a Faculdade de Arquitectura - UTL já pagou por 4 processos de reconhecimento e 4 de acreditação = 50.000 Euro. Já alguém perguntou às eminências lá do sítio o que raio andam os juristas da escola a fazer? E porque raio se gasta tanto dinheiro a cortar relva e a manter jantares chorudos e almoços de Natal para o pessoal em vez de se pagar a um advogado de jeito para analizar a situação (e, em última análise, colocar a OA em tribunal)?

É só um exemplo, que por acaso (ou talvez não...) eu conheço bem demais.

Dia 17 de Junho, Sábado, às 14h30, na Escola Superior Artística do Porto, vai realizar-se a próxima Assembleia Geral da APELA. Um dos pontos de trabalho é precisamente o sistema de admissão da OA. Quantos é que vão aparecer?

(Esta pergunta NÃO é dirigida ao conjunto de colegas que regularmente colaboram connosco e escrevem aqui no blog.)

Diogo Corredoura

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 23 junho, 2006) : 

Caros arquitectos...
Isto de estar inscrito na O.A. é realmente e infelizmente uma necessidade!!
Sou arquitecta inscrita na ordem à apenas 1 ano.. mas concluí a minha licenciatura à 4 anos.
Tive boas oportunidades de emprego, mas a pergunta era frequente: Está inscrita na Ordem?
E claro está... sem inscrição não há trabalho!!
Será justo?
Claro que não.. porque o facto de estar inscrita não significa que tenha mais qualificações..
Estou do vosso lado! Sempre..

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 26 abril, 2007) : 

Best regards from NY! Car used volvo

 

post a comment