quarta-feira, agosto 02, 2006

REM KOOLHAAS NÃO ESTÁ INSCRITO NA ORDEM

"Setenta e nove bons exemplos de como 'Habitar Portugal'

Casas, teatros, estações, igrejas, três cemitérios, dois estádios, intervenções em património histórico ou requalificação de áreas ribeirinhas - são 79 os exemplos de boa construção nos últimos três anos.

2 de Outubro, Dia Mundial da Arquitectura, o CCB vai apresentá-los em Lisboa, na segunda exposição Habitar Portugal.

"A Casa da Música não está, porque Rem Koolhaas não está inscrito na ordem", explica a sorrir Ana Vaz Milheiro, antecipando já perguntas sobre esta ausência."



Fonte, Notícia Completa

Comments on "REM KOOLHAAS NÃO ESTÁ INSCRITO NA ORDEM"

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 02 agosto, 2006) : 

Pois é mesmo para rir, um dos supra sumos da arquitectura mundial, pode fazer arquitectura em Portugal sem estar inscrito na Ordem. É mesmo a republica das bananas, uns são enteados e outros filhos.

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 02 agosto, 2006) : 

Acho que eles querem que ele vá fazer o exame, lol

 

Anonymous pinto coelho said ... (quarta-feira, 02 agosto, 2006) : 

Cá temos de novo o "Charco dos Girinos" português.

Está à minha porta e não fico muito animado com a "Casa da Música"...!

Mas que o Koolhaas é uma das referências mundiais lá isso é!

Ninguém lhe pode tirar esse mérito e não são os "Girinos" da Ordem dos Arquitectos que vão mudar as coisas, incluam ou não a "Casa da Música" no catálogo:

"Setenta e nove bons exemplos de como 'Habitar Portugal'

Como de costume a Ordem dos Arquitectos insiste em se transformar numa anedota "Global", capaz de iluminar o mundo com "a inteligência bacoca dos seus dirigentes"

 

Anonymous ARQº PEDRO SILVA said ... (quarta-feira, 02 agosto, 2006) : 

Não existem palavras para classificar aqueles que dirigem a Ordem dos Arquitectos, assim como aqueles que gravitam à sua volta delapidando os recursos da Ordem ( as quotas dos membros).

Afinal quem é que eles servem?

A arquitectura? Os Arquitectos?
Penso que nem uma coisa nem outra?

Tempos atrás, um energúmeno da Ordem, numa entrevista a uma revista, como representante da Ordem dos Arquitectos afirmava “ na zona de Lisboa são só cinco os edifícios de habitação que merecem uma visita arquitectónica ( três situam-se na expo)…”

Agora vem esta “eminência parda” afirmar que "A Casa da Música não está, porque Rem Koolhaas não está inscrito na ordem"


RESUMINDO, ESTAMOS ENTREGUES AOS BICHOS.

SERÁ QUE NINGUÉM PÕE ORDEM NISTO?????????????????

 

Anonymous arq! said ... (quarta-feira, 02 agosto, 2006) : 

I N A C R E D I T Á V E L

Esta gente da OA só pode andar a gozar com a arquitectura em Portugal, uma das obras mais emblemáticas feitas no nosso País, de grande impacto social e paga pela sociedade Portuguesa não pode figurar no CCB no dia da arquitectura em Portugal.

Li em tempos na revista Visão uma critica de um conhecido arquitecto da nossa praça criticar REM KOOLHAAS relativamente ao processo do concurso. Provavelmente isto é a vingança da OA ou melhor de algum elemento da OA contra este arquitecto estrangeiro.

Que ridículo, consideram que a casa da música não existe no entanto fazem visitas guiadas à dita casa e ganham dinheiro com isso.

Este pessoal é do piorio não só com os recém licenciados mas também com o resto da classe, alguém terá de correr com eles pois não interessam a nenhum arquitecto nem a um único cidadão.

Pah denúncias ao ministério da Cultura, pois isto bateu no fundo já não há paciência esta gente não defende a arquitectura fode alguns arquitectos e protege outros.

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 02 agosto, 2006) : 

A foto do Rem Koolhaas foi tirada no momento em que este pedia, de mãos postas, ao Nuno Simões (presidente do Conselho Nacional de Admissão)que o deixasse inscrever.

Mas o Nuno negou, "só quando passares na prova de admissão, meu malandro!...e não te esqueças que tens de pagar a prova e só tens 5% de probabilidades de passar...e todo o teu curriculum não conta nada...porque nós, somos muito rigorosos e só entra quem nós quisermos...nós é que fazemos a Lei, aliás, nós somos a Lei...!

O homem continuou a implorar e pôs-se de joelhos...mas nem mesmo assim.

Agora, como castigo, fica fora da lista das melhores obras em Portugal...mesmo que ela esteja lá para uso dos políticos e da própria Ordem.

Também não sei quem assinou o projecto; se não foi o seu autor, o Koolhaas, por não estar inscrito, então foi alguém. Mas se foi alguém que não o autor, então a isso a Ordem chama "assinatura de favor", que a própria proíbe e castiga.

Olhem, vou respirar ar puro...falar da Ordem é respirar monóxido de carbono.

 

Anonymous pinto coelho said ... (quarta-feira, 02 agosto, 2006) : 

E Deus disse a Moisés

"A Ordem é a Lei"!!

E a Ordem é "Lei da Selva".

Desculpem lá, mas Deus devia ter bebido cerveja sem álcool. Foi no que deu beber a "Bhoemia" da Sagres. Tem álcool como o caraças.

Moral da história se fizer a Lei não beba, se beber não faça a Lei!

A partir desse momento ficou tudo doido, particularidade que afectou especialmente os dirigentes da Ordem dos Arquitectos.

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 02 agosto, 2006) : 

Certamente que agora o conselho de deontologia da Ordem dos arquitectos vai levantar um processo disciplinar contra o arquitecto que fez a assinatura de favor.

 

Anonymous arq! said ... (quarta-feira, 02 agosto, 2006) : 

"A foto do Rem Koolhaas foi tirada no momento em que este pedia, de mãos postas, ao Nuno Simões (presidente do Conselho Nacional de Admissão)que o deixasse inscrever.

Mas o Nuno negou, "só quando passares na prova de admissão, meu malandro!...e não te esqueças que tens de pagar a prova e só tens 5% de probabilidades de passar...e todo o teu curriculum não conta nada...porque nós, somos muito rigorosos e só entra quem nós quisermos...nós é que fazemos a Lei, aliás, nós somos a Lei...!

O homem continuou a implorar e pôs-se de joelhos...mas nem mesmo assim.

Agora, como castigo, fica fora da lista das melhores obras em Portugal...mesmo que ela esteja lá para uso dos políticos e da própria Ordem.
"

Isto qualquer dia dá + um filme :D

 

Anonymous arq! said ... (quarta-feira, 02 agosto, 2006) : 

"Certamente que agora o conselho de deontologia da Ordem dos arquitectos vai levantar um processo disciplinar contra o arquitecto que fez a assinatura de favor."

Na altura não era obrigatório estar inscrito na OA, a obra começou a ser construído em 1999 como "obra emblemática" do Porto 2001 - Capital Europeia da Cultura

 

Anonymous paulo said ... (quinta-feira, 03 agosto, 2006) : 

Quando estiver pronto o projecto do Frank Gehry para Lisboa como será ??????????

 

Anonymous arquitecto indignado said ... (quinta-feira, 03 agosto, 2006) : 

Também não fará parte da "BOA ARQUITECTURA", a não ser que o Gehry se inscreva na Ordem, e aí passará a constar no rol da boa arquitectura.

Depois disto que credibilidade terão todos os estudos que estes parasitas têm andado a fazer à custa das nossas cotas????????

 

Anonymous Xelb said ... (quinta-feira, 03 agosto, 2006) : 

Engraçado...
Estive a ler a nota biográfica da Arqta. Ana Vaz Milheiro e não é referenciado nenhum projecto da sua autoria. Dá aulas, tirou Mestrado, está a tirar Doutoramento, mas obras não! Curioso para um arquitecto...

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 03 agosto, 2006) : 

...E eu não percebo como se pode chamar arquitecto a quem nunca fez um projecto. Acho que é o caso de quase todos os "sábios" da Ordem.

...é a mesma coisa que chamar catótico a quem nunca foi à missa, ou, atleta a quem nunca fez uma corrida, ou, pescador a quem nunca pegou numa cana...

De teóricos medíocres estamos todos fartos e com gente desta não se vai a lado nenhum. A situação podre a que chegámos, a isto se deve.

 

Anonymous arq! said ... (quinta-feira, 03 agosto, 2006) : 

Depois vê-se esta gente dar aulas sem nunca ter colocado os pés numa obra, e depois a culpa é dos recém licenciados, fodasse!

 

Anonymous pinto coelho said ... (sexta-feira, 04 agosto, 2006) : 

A TRETA


Para ser tudo "treta" é necessário fazer um grande esforço para que os cursos sejam uma "treta" e são-no em todo o lado.

É claro que uns tantos ganham a vidinha com a"treta" impigida aos alunos e ao resto do pessoal, mas fazem dessa treta a coisa mais difícil, a mais nobre e importante do mundo (até podemos deixar de respirar, dada a sua importância).

E ... depois a "treta" continua em tudo o que em Portugal se faz:

Na justiça. Vejam a treta dos Juízes e dos funcionários judicais, coitadinhos matam-se a trabalhar;

Na polícia: Vejam os coitados que se esforçam tanto para incomodar os cidadãos honestos e mais ainda para não se incomodarem com os marginais;

Na saúde. O esforço que todos fazem para pouco ou nada fazerem;

Na educação. O esforço que se faz para ensinar "treta" e quando se faz um teste sobre a "treta" a treta da polémica que se alevanta;

Na investigação científica. De cada vez que conseguem partir um tubo de ensaio é que descobrem que não descobriram a "treta" da fusão a frio;

No governo. Vejam a "treta" com que nos aliciaram para o voto e vejam a "treta" com que justificam a subida dos impostos, a subida das taxas de juro, dos combutíveis, o aumento da criminalidade, o aumento das propinas no ensino Universitário (que deveria ser tendencialmente gratuito), a diminuição das regalias sociais dos trabalhadores, a diminuição dos cuidados de saúde, a falta de acesso à medicina dentária pelo SNS, etc, etc.

Mas basta ouvir a "treta" de todos eles para perceber que mais uma vez fomos levados na "treta".

Assim fica provado que o Povo Português é globalmente viciado em "treta" e como ninguém quer promover uma campanha de desintoxicação da droga da "treta", este pessoal anda bem "pedrado" e assim ficam contentes os "vilões e os "coitados" por esta "treta" continuar pela "treta" dos tempos... enquanto ouver "burros" para ouvir a "treta" sem se revoltarem contra a opressão da "treta" pela "treta".

Como devem estar cheios da minha "treta" e ainda mais da outra "treta" vamos dizer em coro fo...-se a merd.. de tanta "treta"!

 

Blogger BiPri said ... (segunda-feira, 07 agosto, 2006) : 

Jovens, antes de falarem informem-se para não dizerem asneiras.

Claro que o Rem Koolhaas não está inscrito na OA portuguesa, está inscrito na do país dele. Mas também já cá esteve inscrito, tal como todo o arquitecto estrangeiro que faça obra em Portugal - realiza uma inscrição temporária (prevista no Estatuto da OA e figura existente desde sempre), renovada enquanto dure a obra.

E tal como também é comum, houve uma associação com um atelier português, para que certos formalismos e requisitos legais pudessem ser mais facilmente cumpridos.

A obra está pronta, o senhor voltou-se para outros projectos e a inscrição temporária terminou. Simples.

Contudo, esta explicação em nada atenua a explicação dada pela OA. É só para que se perceba o porquê.

Diogo Corredoura

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 07 agosto, 2006) : 

"A Casa da Música não está, porque Rem Koolhaas não está inscrito na ordem", explica a sorrir Ana Vaz Milheiro (...)"

Isto são coisas que se digam?

É por isto e por tudo que a Ordem doa Arquitectos não passa de um clube.

 

Anonymous arquitecto indignado said ... (segunda-feira, 07 agosto, 2006) : 

Caro Bipri:

- "A Casa da Música não está, porque Rem Koolhaas não está inscrito na Ordem", explica a sorrir Ana Vaz Milheiro, antecipando já perguntas sobre esta ausência."

Estas palavras estão no artigo do jornal, não são invenção do blog ou de qualquer colega.

Em vez de criticar quem pronunciou estas palavras o sr. vem dizer "antes de falarem informem-se para não dizerem asneiras". Afinal quem diz asneiras, a Ana Milheiro ou quem tem vergonha que este tipo de pessoas represente a Ordem dos Arquitectos Portugueses.

Caro Bipri, a anedota do ano será a Casa da Musica não estar exposta pelo seu autor não se encontrar inscrito na Ordem dos Arquitectos.

Será pela mesma razão que num artigo de uma revista, pago pela Ordem com as nossas cotas, o Carlos Inglês afirmava “ na zona de Lisboa são só cinco os edifícios de habitação que merecem uma visita arquitectónica ( três situam-se na expo)…”, será pelo simples facto de por exemplo, Cassiano Branco, Raul Lino, e outros nunca terem estado inscritos na “Ordem” que o Carlos Inglês não considera as suas obras dignas de serem visitadas???????

A quem estamos entregues???????????????

 

Blogger BiPri said ... (terça-feira, 08 agosto, 2006) : 

Caro "arquitecto indignado",

Eu continuo sem perceber se há pessoas com dificuldades em perceber o que escrevo por mera iliteracia ou se por ficarem "cegos de raiva" com esta situação da OA.

O meu comentário foi feito apenas em resposta a frases como:

"um dos supra sumos da arquitectura mundial, pode fazer arquitectura em Portugal sem estar inscrito na Ordem";

"Também não sei quem assinou o projecto; se não foi o seu autor, o Koolhaas, por não estar inscrito, então foi alguém. Mas se foi alguém que não o autor, então a isso a Ordem chama "assinatura de favor", que a própria proíbe e castiga."

"Certamente que agora o conselho de deontologia da Ordem dos arquitectos vai levantar um processo disciplinar contra o arquitecto que fez a assinatura de favor."

"Na altura não era obrigatório estar inscrito na OA, a obra começou a ser construído em 1999"

Quando disse que as pessoas só devem falar do que sabem, foi apenas neste sentido. Frases como estas não fazem qualquer nexo quando o que se passou foi não só legal como normal.

Mas, reforçando o que disse no final do meu comentário, a minha explicação serviu somente para esclarecer as pessoas sobre como é que um arquitecto estrangeiro faz obra noutro país que não o seu. Não serviu para desculpar a atitude da OA, que obviamente considero própria de energúmenos.

Explique-me lá em que é que o meu comentário é uma crítica a quem comentou a atitude estúpida da OA.

Diogo Corredoura

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 09 agosto, 2006) : 

Esta historia toda já cansa os dias passam e as coisas não mudam, a ordem continua a fazer tudo o que quer, pode-se dizer é um clube os amigos entram e os outros ficam de fora. A nossa sociedade esta cada vez mais podre.

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (quarta-feira, 09 agosto, 2006) : 

Isto é para os desalentados....

O blog pasmou pois está toda a gente de férias.

Não esqueçam que devemos ter mais notícias em breve, mas para já já temos o acórdão do STA que considera as normas de admissão inconstitucionais.

Muito embora tenha sido a UFP a meter o processo se se confirmar o acórdão ficam todas as Universidades na mesma situação e a OA não poderá continuar a fazer as restrições à inscrição dos licenciados.

Em breve também teremos as sentenças sobre os processos dos alunos...!

Mas até lá temos de esperar!!!

 

Blogger BiPri said ... (quarta-feira, 09 agosto, 2006) : 

Bonito, bonito, era as escolas começarem a pedir o dinheiro das acreditações e reconhecimentos de volta.

Todas utilizam o argumento do aumento dos custos para aumentar as propinas mas pagaram 3.500€ e 10.000€ x 1, x 2, x3 ou, num caso que eu conheço, x 4 (o que deu um valor de 50.000€)!

Ora, se o Supremo Tribunal Administrativo diz que os reconhecimentos e as acreditações são inconstitucionais (logo, nulas), as escolas andaram a pagar por algo que não deviam. E o que é que nós fazemos quando pagamos por algo que não devemos pagar? Pedimos o dinheiro de volta!

Isto para não falar em indemnizações, quer às escolas, quer aos licenciados que foram apanhados por esta situação.

Eu sempre disse que me "cheirava" que 2006 ia ser um ano em grande...

Diogo Corredoura

 

Anonymous Miguéis said ... (quarta-feira, 09 agosto, 2006) : 

Todos os pareceres obtidos até agora, desde o Provedor de Justiça, aos ministérios, ao Ministério Público e agora, do acórdão do Supremo Tribunal Administrativo, dão razão aos queixosos discriminados.

À luz de mentes racionais não é possível entender tamanha e tão radical teimosia da Ordem. Esta teimosia de "antes quebrar que torcer" está a arrastar a OA para consequências absolutamente desastrosas não só do ponto de vista financeiro - quando chegar o momento das indemnizações - como para o alheamento e desencanto de toda uma classe, em prejuízo de uma unidade tão necessária para alcançar outras metas tão necessárias e tão urgentes.

As energias e os recursos consumidos com a teimosia em torno do sistema ilegal de admissão, são incalculáveis. São 6 anos, para nada. Apenas para começar do zero.

Ironicamente, quanto mais se demora, mais se descobrem as ilegalidades.

Oxalá que em breve, outras universidades que não só a UFP, se dêem conta da burla e peçam de volta o que lhes é devido.

Só com justiça se faz uma sociedade sã!

 

Anonymous Arquitecta indignada, humilhada e discriminada said ... (quarta-feira, 09 agosto, 2006) : 

A propósito de ilegalidades, como todos sabem, os cargos exercidos pelos membros da Ordem de acordo com os estatutos não podem ser remunerados. Acontece que como todos também sabem, eles estão a receber ordenado de valor bastante elevado, que aqui já foram comentados anteriormente.

Esses meninos andam a brincar pensando que como representam a Ordem, não respondem individualmente perante ninguém. Ora neste caso se o problema for levantado, junto das entidades competentes e se verificar a ilegalidade dos recebimentos, poderão vir a ter de repor os ordenados que receberam indevidamente, não seria inédito.

Apenas caberá a nós tomar a iniciativa.
Se conseguimos o que já conseguimos, remando contra ventos e marés, porque não conseguir que essa escumalha devolva o que tem recebido indevidamente como eles próprios reconhecem nos pareceres internos para receber os ordenados sob a forma de senhas de presença.

EXISTE MUITA GENTE INDIGNADA, HUMILHADA E DISCRIMINADA COM VONTADE DE TOMAR A INICIATIVA PARA TAL.

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (quarta-feira, 09 agosto, 2006) : 

Com efeito os dirigentes da OA "olham para o lado e assobiam" até parece que não é nada com eles... mas é!!

Com efeito as direcções das Universidades têm andado a dormir, mas podem acordar..!

... E os alunos podem contribuir para isso fazendo alguma pressão também!!!

Quanto aos ditos ordenados recebidos pelos titulares dos órgãos da OA se são ilegais porque não pedir ao Tribunal de Contas ou a outra entidade que tenha competência para tal, que faça uma auditoria às contas da OA.

Creio que só os membros efectivos poderão tomar qualquer iniciativa!!

Se houver alguém que tenha uma dica sólida e me arranje documentação posso tentar pegar no assunto... Contra essa corja... estou sempre disposto a pegar no machado de guerra...

 

Anonymous Arquitecta indignada, humilhada e discriminada said ... (quarta-feira, 09 agosto, 2006) : 

Caro colega Pinto Coelho:

Não tenho a certeza se o tribunal de contas terá alguma coisa a ver com as contas da Ordem.

Penso que o Tribunal Administrativo e Fiscal é que poderá emitir uma sentença acerca da legalidade do que estão a fazer, por intermédio de acção de membros da Ordem.

Estes meninos estão a brincar com toda a gente porque pensam que isso não lhe trará consequências, mas quando aqueles que eles têm estado a prejudicar e a discriminar estiverem na Ordem "muita coisa pode acontecer". Da minha parte não estarei descansada enquanto eles não souberem o que é sentir na pele o reverso da medalha daquilo que têm estado a fazer.

Por exemplo, as contas da Ordem dão prejuizo e no entanto estes gajos têm ordenados de 40 000€ anuais para darem cabo da vida.

Conte comigo. No futuro contactá-lo-ei para comparticipar numa acção dessa natureza.

 

Anonymous pinto coelho said ... (quinta-feira, 10 agosto, 2006) : 

Já sei que o "sindicalismo" assim como o "socialismos" têm sido metidos na "gaveta" e até se compreende pois já viveram melhores dias...!!

Quanto ao "socialismo" ainda não consegui avaliar bem as consequência do seu arquivamento numa "gaveta" pois não tenho dedicado ao tema grande atenção.

No que se refere ao "sindicalismo", embora andando este pelas ruas da amargura, poderia contribuir positivamente como contra poder aos interesses instalados, sobretudo no que se refere às condições de trabalho dos arquitectos assalariados, que, como sabemos são a maioria, e as condições de trabalho aquelas que todos conhecemos...!

Poderia ainda servir como elemento de equilíbrio na limitação das tentações de exclusão por parte da OA em relação aos novos licenciados.

Como sabemos as Ordens profissionais tem por função a regulação das profissões colegiadas e sempre no interesse dos seus membros, que têm procurado sempre que podem excluir a "nova concorrência", estando-lhes por lei vedada atribuições sindicais.

Embora o tema já tenha sido abordado, nunca passou disso mesmo, de uma intenção circunscrita à cabeça pensante de um grupo muito restrito de colegas.

Aqui fica a pergunta:

- Porque não avançar para uma estrutura sindical de Arquitectos??

Poderia ainda ser um parceiro social na discussão dos assuntos relativos aos profissionais de arquitectura e por outro ser usada como contra poder em relação à OA e aos "patrões dos arquitectos" cuja única preocupação tem sido a de "explorar em seu proveito a situação", ou seja, " a desgraça alheia".

Quer queiramos quer não, o sindicalismo ainda tem "nichos de mercado" onde pode ser útil...!!

E o melhor do que tudo é que o "nicho de mercado" existe mesmo e está carente de um fornecedor que satisfaça a necessidade dos consumidores, neste caso dos "jovens arquitectos" e de todos os milhares de arquitectos "assalariados" que trabalham nos gabinetes privados, nas Câmaras Municipais e no Governo.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 10 agosto, 2006) : 

Antes da associação havia o sindicato dos arquitectos que foi extinto com a criação da associação

 

Anonymous paulo said ... (sexta-feira, 11 agosto, 2006) : 

Para quem gosta de estatísticas, comparem o resultado do exame de admissão que acabou de sair (já está no site da Ordem) com os do exame anterior. ONDE É QUE EU JÁ VI ESTE FILME?

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (sexta-feira, 11 agosto, 2006) : 

Grande Ordem! E grandes Arquitectos (embora lambedores de botas!!)

Estatística exame do exame de Julho de 2006

Nº total de candidatos 20

Nº candidatos aprovados à primeira 5 ---- 25%

Nº candidatos admitidos prova complementar 10 ---- 50%

Nº candidatos desistentes 2 ---- 10%

Nº candidatos reprovados 3 ----15%

Perspectiva-se uma taxa de aprovação dos candidatos admitidos à prova complementar de 50% o que levará a uma taxa de aprovação de 50%.

Fica aqui uma pergunta:

Porque será que a OA só conseguiu convencer 20 colegas a fazerem a prova?

Gostaria de ouvir a opinião dos que não se candidataram, cujo número deve ser bem maior do que a triste e modesta vintena dos que se candidataram!!

 

Anonymous arquitecto discriminado said ... (sexta-feira, 11 agosto, 2006) : 

Caro colega Pinto Coelho:

Da minha universidade, aqueles que foram a exame foram aqueles que poderemos considerar como oportunistas, foram-no enquanto estudantes, não indo às aulas ou passando por vezes com certos auxiliares, mandando fazer os trabalhos ou mesmo entregando trabalhos copiados, sem qualquer alteração, de obras existentes. Em suma, aqueles que se valem do trabalho dos outros.

Nunca participaram em qualquer acção contra a Ordem, antes pelo contrário, boicotando mesmo por vezes aquilo que os outros faziam, tentando tirar vantagem pessoal disso.

Enquanto aqueles que têm lutado se abstêm de ir aos exames, estes parasitas mandam fazer os seus trabalhos pagando-os, e agora vão cantando e rindo à prova complementar, onde lhes perguntarão qualquer coisa como a diferença entre vidro duplo e vidro simples e ei-los na Ordem, enquanto que os outros continuarão a lutar.

Certamente que, depois de inscritos, se o REM KOOLHAAS lhes pedir para entregarem um termo de responsabilidade, na C. M. do Porto, para a Casa da Música, então poderá constar na Exposição Habitar POrtugal do C.C.B.

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 11 agosto, 2006) : 

Viva a vilanagem

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 17 agosto, 2006) : 

Então está tudo de férias... Só voltam em Setembro.

 

Anonymous Carlos Sant'Ana said ... (quinta-feira, 17 agosto, 2006) : 

Como de costume, parece que em Portugal temos dois pesos e duas medidas.

1.
Pelos vistos as obras de arquitectos portugueses têm valor no estrangeiro, mas a dos estrangeiros na nossa terra não.

Gostava de saber se o Álvaro Siza e o Eduardo Souto Moura estão inscritos em Londres e se o Gonçalo Byrne está inscrito na Bélgica. Não falo de Macau pois aquilo é uma selva...

2.
Esta escolha e as reacções que suscitaram apenas mostram o provincianismo do nosso país, dos nossos dirigentes arquitectos (que parecem ter lugar cativo na OA) e da "elite intelectual" da arquitectura portuguesa. Temos orgulho quando os nossos triunfam no exterior mas não temos a humildade de aceitar a qualidade do trabalho de um arquitecto estrangeiro no nosso pais.

Não pretendo acrescentar nada à discussão. Apenas gostaria de deixar pública a minha posição.

Com tantos arquitectos jovens -menores de 40- inscritos nos últimos anos será certamente fácil mudar alguma coisa, não?

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 18 agosto, 2006) : 

O problema não está ai, a verdade é que existe muitos licenciados em arquitectura no nosso País, que não podem assinar projectos,sim porque fazer podemos fazer todos. A Ordem dos Arquitectos Portuguesa não respeita os direitos dos licenciados em arquitectura, descriminando muitos licenciados,que não podem assinar os seus próprios projectos porque a ordem não os reconhece como tal,e por isso não podem trabalhar como tal, enquanto o Senhor Rem Koolhaas não necessita de estar inscrito na ordem.
NÃO SERÁ DESCRIMINAÇÂO OS DE FORA NÃO NECESSITAREM DE ESTAREM INSCRITOS NA ORDEM E OS DE CÁ NECESSITAREM para poderem trabalhar. DESCULPE MAS COM ESSA IDEIA OU ESTÁ MAL INFORMADO, OU É DAQUELES QUE TUDO O QUE VÉM DE FORA É BOM.

 

Anonymous O Malcriado said ... (sábado, 19 agosto, 2006) : 

Onde é que está o problema das assinaturas de favor, de que tanto se fala?
Agora vão lá intentar uma acção judicial contra o Rem K.!
No fundo foi o que ele fez. Projecta e outro assina por ele. Ou há outra explicação? No fundo, mais coisa, menos coisa, dá no mesmo!

 

Anonymous Vampir0 said ... (sábado, 19 agosto, 2006) : 

?!?! Então mas o Corredoura já não explicou o que se passou com o Koolhaas? ...Vá, vamos lá a fazer um esforço e ler os comentários todos com atenção e não só os primeiros .. :)

 

Anonymous João Almeida said ... (segunda-feira, 21 agosto, 2006) : 

Acabei de receber o boletim dos arquitectos de agosto e na ultima pagina vem o novo regulamento de inscriçao e verifico que o exame foi abolido. Gostaria de saber se mais alguém confirma a mesma informação?

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 21 agosto, 2006) : 

Exactamente! Também recebi o boletim da O.A. deste mês e ao ler o novo R.A., a entrar em vigor a partir de 02 de Outubro, não é feita qualquer alusão ao exame de admissão. O que a meu ver tem sentido, dado que o reconhecimento de acreditação dos cursos acabará, por parte da O.A.! Agora a questão é se haverá exame para todos (como também foi hipoteticamente falado)ou acabam de vez os exames? Dada a não referência a provas de admissão no novo R.A., inclinar-me-ia mais para a segunda hipótese!
Outra questão que ponho é, estando eu a terminar o meu estágio profissional, em Outubro, apanharei este novo Regime de Admissão, certo? Ou seja, não terei necessidade de realizar exame (visto eu ser proveniente de um curso reconhecido), independentemente de ter realizado o meu Estágio nos moldes do actual R.A.?
Por último, e em que posição ficam os candidatos a membros efectivos, que realizaram os anteriores e actuais exames de admissão e reprovaram? Foram impedidos de se inscreverem, e a partir de Outubro já o podem fazer (novamente mais uma das muitas incongruências a que esta Ordem nos tem habituado)? Se for este o caso, aconselho quem foi impedido de se inscrever, por ter reprovado em exame ou por se ter recusado a fazê-lo, a meter uma Acção em Tribunal contra a O.A., pois não se brinca assim com a vida das pessoas, impedidndo-as de exercer o seu direito legítimo à profissão, durante largo período de tempo!
Enfim...Será que já alguém tem respostas a isto?

Arqº Rodrigo Ferreira

 

Anonymous Anónimo said ... (terça-feira, 22 agosto, 2006) : 

Ah, e mais uma coisa! Não será estranho aquela cláusula das disposições finais e transitórias, de que os estagiários inscritos ao abrigo do actual R.A. ficarão regidos ao abrigo do novo Regulamento de Inscrição (R.I.???), ou em opção, poderão manter as condições de admissão do R.A.!!! Afinal em que ficamos? Os estagiários actuais podem inscrever-se mediante o Regulamento que lhes "dê mais jeito"??? Isto está um embrulho autêntico. Telefonei para a Ordem a pedir esclarecimentos e o que me disseram é que não estava ninguém da Admissão, que me pudesse dar mais informações... Que estranho! Se calhar nem eles proprios sabem!!!

Arqº Rodrigo Ferreira

 

Anonymous O discriminado said ... (terça-feira, 22 agosto, 2006) : 

Até aqui, a OA, sempre que entra um regulamento novo, põe toda a gente no saco desse regulamemto fazendo tábua rasa de todo o passado. Neste caso, aqueles que já fizeram estágio e a respectiva formação obrigatório da Ordem já cumprem os requisitos para inscrição como membros efectivos da ordem, como tal após 2 de Outubro, a OA deverá proceder à sua inscrição imediata.

 

Anonymous João Almeida said ... (terça-feira, 22 agosto, 2006) : 

ARTIGO 9.º - DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS

3. Os candidatos cujo processo de admissão da OA esteja em curso à data de entrada em vigor do presente regulamento ficam sujeitos ao presente regulamento, podendo optar por concluir o processo ao abrigo do regulamento anterior.


Isto significa que no dia 2 de Outubro de 2006, todos os candidatos à Ordem cujo estágio profissional esteja em decurso, ficam automaticamente sujeitos ao novo regulamento, sendo no entanto, podendo no entanto o candidato optar por concluir o processo segundo o anterior regulamento de admissão.

A novo regulamento de inscrição (RI) é composto por estágio profissional, acções de formação e acção de formação sobre os estatutos e código deontológico da Ordem, acabando assim o exame.

 

Anonymous Anónimo said ... (terça-feira, 22 agosto, 2006) : 

Pois, até aí já eu tinha chegado... Mas a questão permanece. No meu caso, comecei a fazer o estágio ao abrigo do RA, e como sou proveniente de um curso reconhecido, recebi a carta a dizer que tinha de efectuar exame de admissão! Fiz as acções de formação e estou a pouco mais de 1 mês de acabar o estágio. Mas quando acabar o estágio já estará em vigor o (novo) RI. Mas se optar, tal como a referida claúsula do art. 9º refere, por concluir o processo pelo RA, teria de efectuar exame. Mas qual exame, visto que os mesmos acabam??!!! Será que a Ordem para os estagiários provenientes de cursos reconhecidos, inscritos em estágio, pelo RA, irá realizar mais exames, mesmo após a entrada em vigor do RI? Que coisa estranha! E se um candidato chumbar num hipotético exame? Passa automaticamente a estar abrangido unica e exclusivamente pelo RI? Ou após a entrada em vigor do RI, todos os estagiários do RA poderão inscrever-se directamente, mesmo que provenientes de cursos reconhecidos (dado que com o RI, as acreditações e reconhecimentos terminam)? E se eu, como estagiário inscrito pelo RA, não quiser concluir o processo de admissão ao abrigo deste, terei de efectuar mais acções de formação complementar, que o RI impõe, em virtude de "automaticamente ficar sujeito ao novo regulamento"?
São estas questões que ainda ninguém me conseguiu esclarecer, nem na Ordem, nem falando com colegas, ou sequer questionando arquitectos membros efectivos (que a maioria ainda sabe menos do que nós de como se processará o novo modelo de admissão à OA)... Xiça, que embrulhada.....
Arqº Rodrigo Ferreira

 

Anonymous João Almeida said ... (terça-feira, 22 agosto, 2006) : 

Neste caso penso que estará abrangido pelo novo regulamento, logo, não terá que fazer exame de admissão à Ordem, excepto se assim o desejar. Penso que o artigo 9.º é bastante explícito quanto a essa situação.
Se oficialmente completar os 12 meses de estágio antes do dia 2 de Outubro de 2006, não estará abrangido pelo novo Regulamento de Inscrição (RI) e terá que fazer o exame a título excepcional.

 

Anonymous o discriminado said ... (quarta-feira, 23 agosto, 2006) : 

" Se oficialmente completar os 12 meses de estágio antes do dia 2 de Outubro de 2006, não estará abrangido pelo novo Regulamento de Inscrição (RI) e terá que fazer o exame a título excepcional. "

João Almeida:

Gostaria que explixasses melhor o que acima afirmas, e onde é que se pode ler isso.

Será que eu percebi bem? Dizes tu aqui que se completar o estágio antes de 2 de Outubro terá de fazer exame! Então se acabar o estágio a 1 de Outubro faz exame e se acabar a 3 de Outubro não faz exame?

Espero que tenhas interpretado mal aquilo que está escrito! Se assim não for penso que é desta que perdemos a cabeça e não sei o que acontecerá. A paciência tem limites.

Tanto quanto me parece, de acordo com a minha literacia, após a entrada do RI toda a gente passa autométicamente para o RI, excepto aqueles que quiserem optar por ficar no RA, que para isso terão de fazer o respectivo pedido.

 

Anonymous João Almeida said ... (quarta-feira, 23 agosto, 2006) : 

vou voltar a colocar aqui o ARTIGO 9.º - DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS do novo regulamento de inscrição (RI)

alínea 3) - Os candidatos cujo processo de admissão da OA esteja em curso à data de entrada em vigor do presente regulamento ficam sujeitos ao presente regulamento, podendo optar por concluir o processo ao abrigo do regulamento anterior.

É de referir que a citada data de entrada em vigor do novo Regulamento de Inscrição é o dia 2 de Outubro de 2006.
Agora cada um que faça a sua interpretação.


Atentamente,

João Almeida

 

Anonymous João Almeida said ... (quarta-feira, 23 agosto, 2006) : 

É de referir também que não se trata de fazer exame ou não, se o estágio terminar antes da entrada em vigor do novo Regulamento de Inscrição.
Trata-se sim, de concluir o processo de admissão no antigo Regulamento de Admissão ou no novo Regulamento de Inscrição, conforme a data de conclusão do processo de admissão. Se o candidato estiver sob tutela do antigo Regulamento de Admissão e o curso estiver acreditado pela Ordem dos Arquitectos, o mesmo aluno não fará exame de admissão, embora termine antes do dia 2 de Outubro de 2006.

Talvez para terminar com as especulações, será importante contactar a Ordem dos Arquitectos e colocar tais questões, ou então ler na integra o novo Regulamento de Inscrição.
Embora tudo isto não passe por uma interpretação do RI.

Atentamente,

João Almeida

 

Anonymous o discriminado said ... (quarta-feira, 23 agosto, 2006) : 

A redacção parece-me clara.

Quando se refere ao "presente regulamento", refere-se ao regulamento RI, e quando se refere ao " regulamento anterior " refere-se ao RA.

De qualquer modo "presente" refere-se ao regulamento que está a ser descrito e não ao regulamento que está em vigor. Caso contrário, após a sua entrada em vigor a redacção do RI teria de ser alterada, não é verdade?

 

Anonymous João Almeida said ... (quarta-feira, 23 agosto, 2006) : 

Eu continuo com a minha interpretação. Penso ser bastante claro o artigo.

 

Anonymous João Almeida said ... (quarta-feira, 23 agosto, 2006) : 

De qualquer das formas penso que não constituirá um problema, pois como verificamos, é uma questão de interpretação. E certamente os casos abrangentes desta alínea serão explícitos e possívelmente não haverão candidatos a terminar os processos de admissão em datas anteriores a 2 de Outubro.

É de referir que tais questões e interpretações deverão chegar à Ordem dos Arquitectos, para que ninguém, tal como nós, criem situações onde paira a dúvida e a incerteza.

Atentamente,

João Almeida

 

Anonymous João Almeida said ... (quarta-feira, 23 agosto, 2006) : 

Peço aos moderadores para criarem um post com o novo Regulamento de Inscrição para que torne público tal discussão.

 

Anonymous O malcriado said ... (quinta-feira, 24 agosto, 2006) : 

"Neste caso penso que estará abrangido pelo novo regulamento, logo, não terá que fazer exame de admissão à Ordem, excepto se assim o desejar. Penso que o artigo 9.º é bastante explícito quanto a essa situação.
Se oficialmente completar os 12 meses de estágio antes do dia 2 de Outubro de 2006, não estará abrangido pelo novo Regulamento de Inscrição (RI) e terá que fazer o exame a título excepcional."
Isto é de doidos!
- Eu quero exame! Eu quero exame! Desculpem, mas eu não abdico de fazer o meu exame.-
Mas quem é que pode desejar estar sob a tutela do antigo regime?!
Não há quem entenda esta OA!

 

Anonymous O malcriado said ... (quinta-feira, 24 agosto, 2006) : 

A unica solução é acabar com as definições do RA, de uma vez! Ainda perdem tempo em considerar que alguém estaria interessado no antigo regime.
Uma OA que nunca fez nada bem feito, que nunca teve regimes de transição, está com pormenores da treta, a fazer uma ligação entre o RA e o RI?! Está porreiro!

 

Anonymous João Almeida said ... (quinta-feira, 24 agosto, 2006) : 

Esse é o meu caso. O meu processo de admissão está em curso á data da entrada em vigor do novo Regulamento de Inscrição, e obviamente vou permanecer no dito RI, em vez de optar pelo antigo Regulamento de Admissão.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 24 agosto, 2006) : 

Tal como referi acima, eu também só acabo o meu Estágio em Outubro de 2006, dia 7, ou seja, depois do dia de entrada do RI, em vigor (dia 2). Mas provenho de um curso reconhecido. Com o fim do RA poder-me-ei inscrever directamente, logo após a aprovação do relatório de Estágio, dado que passo automaticamente a estar abrangido pelo RI?

Arqº Rodrigo Ferreira

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 24 agosto, 2006) : 

agora é só arquitectos

 

Anonymous João Almeida said ... (quinta-feira, 24 agosto, 2006) : 

Sim ...pelo que entendo do novo Regulamento de Inscrição, o teu processo de admissão está em curso aquando da entrada em vigor do novo regulamento, logo, deverás estar sob vigência do mesmo. Por isso, após a aprovação do teu relatório de estágio, serás membro efectivo.
Isto é a minha interpretação do RI.

 

Anonymous João Almeida said ... (quinta-feira, 24 agosto, 2006) : 

já agora... "agora é só arquitectos"...
Esse comentário pareceu-me mais um desabafo com alguma tristeza. Ficou assim tão triste por acabar a discriminação entre candidatos? ou é daqueles que acredita que o sistema era justo?
Se há alguma coisa a controlar são as licenciaturas existentes no nosso país, e não quem frequenta tais cursos. Se um Ministério do Governo Português que atesta a capacidade dos cursos em formar profissionais, achará porventura justo, a Ordem descridibilizar um Ministério e criar entraves à profissionaliazação de candidatos de tais universidades? Se calhar eu e mais colegas também vemos com maus olhos alunos universitários com 12 matrículas sem que vejam agravadas as suas propinas, mas que no entanto, ocupam vagas que poderiam ser preenchidas por alunos candidatos ao ensino superior, diminuindo assim a média. Já para não falar em todos aqueles que saltitam de licenciatura em licenciatura a fim de chegarem ao objectivo final.
Quem é que nasceu primeiro? o ovo ou a galinha?

 

Anonymous O anónimo anterior said ... (sexta-feira, 25 agosto, 2006) : 

Ó meu:

Quando era para lutar contra o sistema, nunca havia ninguém.

Quando era necessário dar a cara ou ir a uma manifestação eram sempre os mesmos.

Agora que "parece que as coisas estarão resolvidas" começam a aparecer e a mostrar a sua "sapiência parda".

Digo "agora é só arquitectos", porque antes nunca os vi em lado nenhum.

Estão no final do curso ou do estágio e quando foi necessário a sua solidariedade ou ajuda para manifestações ou acções ninguém sabia onde esses "arquitectos" andavam.

Chegaram a ser marcadas reuniões em universidades em que não apareceu uma única pessoa.

 

Anonymous João Almeida said ... (sexta-feira, 25 agosto, 2006) : 

Quererá então dizer, que o senhor e os compadres devem ser eternamente enaltecidos e que todos aqueles que vão estar sob tutela do novo RI, devem estender a passadeira vermelha aos detentores da verdade e do dogma da profissão de arquitecto.
Crie uma associação para reinvindicar plenos direitos, como por exemplo um Sindicato dos Arquitectos. Para sindicatos certamente haverão candidatos para tachos.
O senhor não vê que a luta por direitos é feita de diversas formas, mais não seja no dia a dia, bem como na rejeição de executar exames de admissão que se considera inválidos?
Não sei o que quererá provar com tais afirmações, mas certamente se nunca viu pessoas a lutar pelos direitos dos candidatos só poderá indicar o quão distraído é. Ou acha que este Regulamento foi criado apenas pelo esforço e por obra e graça de um conjunto restricto de 5 ou 10 pessoas? Também acha que o 25 de Abril teve como únicos intervenientes o Maia e o Otelo?
É um pequeno conceito prepotente não?
Fique contente com este novo Regulamento que foi conquistado por todos, e prepare-se para novas lutas "conjuntas", para a valorização e remuneração adequado dos estágios profissionais.

ok, meu?

 

Anonymous FBR said ... (sexta-feira, 25 agosto, 2006) : 

"Agora que "parece que as coisas estarão resolvidas..."
Devem estar a brincar conosco.
Então têm uma OA que nem os estatutos são coerentes e quiçá válidos. As competências para criar regimes de acesso à OA são o que são (acho que nem vale a pena explicar mais) e vocês acham que as coisas estarão resolvidas?
Só olham para o umbigo de cada um. Querem fazer parte de uma OA moribunda, que se lhe dá um arzinho caí de madura e acham que as coisas estarão resolvidas.
Eu percebo o que o tal anónimo quis dizer, mas essa saída foi do mais triste que já li no blog.
É do tipo - resolva eu o meu problema e que nem quero saber que OA temos.
Há que dar credibilidade à OA, dár-lhe segurança e estabilidade. Há que unir os arquitectos numa causa comum, que a todos interessa e diz respeito. Há que arrumar a casa.
Desculpem. Há muito tempo que não escrevia nada, mas não aguentei.

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 26 agosto, 2006) : 

joão almeida

não confundas as coisas. tal como no 25 de Abril, já que foste falar nisso, os oportunistas que nunca fizeram nada apareceram todos depois da mesa estar posta para se banquetiarem e o resultado está no país que temos.

 

Anonymous Miguéis said ... (sábado, 26 agosto, 2006) : 

Todos sabemos que a luta não foi de todos; antes fosse, e a discriminação não tinha durado 6 anos mas 6 meses.

De todo o modo, a solução dos problemas está longe de ser um dado adquirido. Eu diria que apenas começou.

Sem querer alimentar polémica, acho que é um bom momento para congregar esforços, quer os que nunca tiveram iniciativas quer os que sempre lutaram, deram a cara e se sacrificaram para alcançar o que já foi alcançado.

Quanto melhor for a OA, melhor estaremos representados. Mas para isso é preciso impedir os oportunistas, os incompetentes e os parasitas que dela (de nós) se aproveitam.

 

Anonymous João Almeida said ... (sábado, 26 agosto, 2006) : 

Oportunistas os há em todo o lado. Penso isso ser um conceito com alguma unânimidade. Agora não me digam que nunca vos tinha passado pela cabeça que isso ia acontecer? aliás, muito provavelmente serão conhecedores de pessoas bem próximas de vós que nunca se mostraram sensíveis com a situação e que agora vão colher alguns dos frutos semeados. Mas neste momento importa pensarmos nisso, ou será porventura melhor, pensarmos nas próximas diligências para resolver outros problemas, tais como os estágios esclavagistas, o modo como se desenrolam os mesmos, quais as acções de formação eficazes e úteis aos candidatos, entre outros que certamente serão válidos.
Este Regulamento de Inscrição certamente trará coisas boas, mas será sol de pouca dura, sem que se tenha que ir a águas mais profundas e compreender que o mal se encontra no ensino da disciplina de arquitectura. Formam-se todos os anos em Portugal um manancial de arquitectos, boa parte deles, com excelentes perspectivas futuras, pois tratam-se de profissionais bem preparados e com capacidades criativas interessantes, o que leva o nosso país a ter regularmente alguns prémios internacionais no domínio da arquitectura, muitos deles nunca falados no nosso país.
A questão centrar-se-á pela responsabilidade do Ministério em tutelar a capacidade das Instituições Privadas colocarem no mercado anualmente boas dezenas de profissinais, muitos deles sem que se lhes possa imputar qualquer tipo de culpa, sem o minímo de preparação, e nas Instituições de Ensino Público, criar as condições necessárias à abertura de vagas para que haja o equilibrío necessário no ensino da arquitectura no nosso país.
O dever da Ordem dos Arquitectos não é, nem deverá ser, avaliar os cursos e diferenciá-los. O dever da Ordem é o de acolher os candidatos e integrá-los na profissão.
Penso que este novo Regulamento de Inscrição trará igualdade de direitos, mas certamente há que especificar detalhadamente cada artigo e há que criar acções de formação verdadeiramente úteis e imputar com seriedade um código deontológico, que hoje nada diz aos profissinais arquitectos, que atropelam os direitos dos colegas.

Bem hajam,

João Almeida

 

Anonymous Anónimo said ... (domingo, 27 agosto, 2006) : 

para o anónimo que disse:

"agora é só arquitectos"

Por algum motivo conheces-me ou conheces o meu percurso académico? Por algum motivo sabes se tenho participado ou não nas acções de luta contra os sucessivos, injustos e discriminatórios processos de Admissão? Por algum motivo sabes há quanto tempo tento ser membro da Ordem? Por tudo isto e tudo o mais, ao menos tem a decência de mostrares quem és em lugar de vires para aqui mandar bocas foleiras.
Para tua informação, o meu processo de admissão decorre desde 2003, altura em que terminei a minha licenciatura e apresentei-me a exame, tal como mais 97 colegas, reprovando quase todos excepto 2! Sou dos ainda infelizmente poucos que tiveram iniciativa, juntamente com outros colegas, de meter uma Acção em Tribunal contra a Ordem. Estive em variadas acções de protesto, tantas quanto me foi possível estar presente, dado que nem sequer sou de Lisboa, local onde normalmente estas acções acontecem. Tenho acompanhado na medida do possível o desenrolar dos "acontecimentos", e já estive submetido ao RIA, passei para o RA, e pelos vistos ainda vou apanhar o RI!
Com esse teu comentário infeliz só mostras ser um "desses" que olha ao seu umbigo e se amedronta com a possível concorrência dos demais parceiros. Julgas-te mais ou melhor arquitectos que os outros, para poderes apontar o dedo dessa forma? E é precisamente este tipo de gente que não interessa à Classe... Classe esta que deveria unir-se numa prol comum, como acontece com outras classes profissionais, e não tentar estar sempre a "espezinhar" o colega de profissão, como infelizmente acontece connosco! Por estas é que continuamos a ser a vergonha das classes profissionais, em que cada um puxa para seu lado, e somos vistos da maneira como somos, pelo resto da sociedade em geral!
Por tudo isto e talvez mais ainda, deverias estar calado antes de abrir a boca... Comentários infelizes já nos chegam aqueles que vamos ouvindo de alguns dos nossos "tristemente" célebres dirigentes da O.A.

Para a próxima usa um bocadinho mais a cabeça... ó Arquitecto!!!

Arqº Rodrigo Ferreira

 

Anonymous serpi said ... (segunda-feira, 28 agosto, 2006) : 

ó colega rodrigo ferreira, perguntar não ofende, por acaso pareçe ter-lhe servido o capacete ou o boné...

 

Anonymous Gato fedolhento said ... (segunda-feira, 28 agosto, 2006) : 

Sabem onde há admissões baratas, mesmo baratas, gratis que até dá vontade de entrar, sabem??? então calem-se

 

Anonymous Gafahoto said ... (segunda-feira, 28 agosto, 2006) : 

Meus caros:

O mal aqui está na OA, não nos candidatos!

Não vamos ser nós a continuar a divisão que a Ordem provocou e que deu no resultado que está à vista.

Não se percam nos atalhos...

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 28 agosto, 2006) : 

Caro Serpi

Não! Por acaso até nem me serviu a carapuça, porque tenho plena consciência daquilo que tenho feito para ajudar a deitar abaixo os sucessivos Regulamentos de Admissão que têm aparecido! E só o facto de ter uma Acção Judicial contra a Ordem, ao contrário de muitos que falam, falam, falam, e não mexem um cordelinho sequer! Mas também não venho para aqui mandar "postas de pescada", como alguns, como se tivesse um rei na barriga e todos os outros é que são uns oportunistas! Realmente, continuamos a mostrar a mais pura desunião, mesmo estando do mesmo lado da barricada. É triste...
Como muito bem referiu o gafahoto, "O mal aqui está na OA, não nos candidatos!"
E apesar de agora com o novo Regulamento (RI), poder entrar sem necessidade de exame, após aprovação do meu estagio, ou quiçá até não (pois ainda ninguém me o consegui dizer definitivamente, pois o que ouço são apenas suposisções), o meu Processo contra a Ordem irá continuar, pois desde 2003 que ando aqui a marcar passo, à conta destes senhores, que em 5 anos, já mudaram de Regulamentos por 3 vezes (ou vão fazê-lo), e usando sempre as "cobaias do costume"...
Será que temos de ser nós a provar com a própria "pele" os erros, teimosias e demais enganos destes senhores? A coisa não pode mais ficar impune, mesmo que tarde e a más horas venham a repôr alguma justiça neste intrincado sistema de admissão à OA!
Espero ter elucidado alguma coisa a alguns senhores que para aqui andam só com intuito de fazer "Contra-Informação"!!! Cumprimentos

Rodrigo Ferreira, Arqº.

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (quinta-feira, 31 agosto, 2006) : 

O pessoal parece zangado..!!

Até agora andaram quase todos a dormir ... e acordaram repentinamente de um sono estremunhado! ... e dão pontapé em tudo o que está à volta...!!

Começamos na fase de discutir quem bateu, está a bater ou vai bater mais na OA...!!

Lembrem-se que o que está em causa não é saber quem fez mais ou menos por derrubar o "muro" da OA, mas em saber o que cada um fez, faz ou vai fazer para exigir a responsabilização dos dirigentes que activamente levaram à actual situação.

As ameaças e as lamúrias não compensarão ninguém dos prejuízos que sofreu, sofre ou sofrerá, mas sim as "acções" que levem à condenação nos tribunais da OA e eventualmente dos seus dirigentes e das INDEMNIZAÇÕES QUE VENHAM A SER REQUERIDAS E FIXADAS PELAS SETENÇAS, tudo o resto são as "tretas" de uma conversa inútil... de segunda feira depois da nossa equipa do "coração" ter perdido por 10 a 0!!

Ou será que a relação entre profissionais do mesmo ofício está baseada no "coice"? Começo a pensar que sim!

Já conhecem o "Diabo da Tasmânia"?

É boa altura para estudar este animal mal disposto e fedorento e estabelecer as devidas semelhanças... com o que se está a passar com os comentários azedos entre os participantes do forum!!

 

Anonymous João Almeida said ... (quinta-feira, 31 agosto, 2006) : 

Subscrevo

 

Anonymous paulo said ... (sexta-feira, 01 setembro, 2006) : 

ACABARAM OS EXAMES............ACABOU A REVOLTA !!!????????????????

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 01 setembro, 2006) : 

Como é que é?

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (sexta-feira, 01 setembro, 2006) : 

Será interessante que cada um coloque informação útil no blog e não "gritos de ipiranga"...!!

Por questões de catarse gritar de vez em quando até faz bem, mas gritar em público pode dar-nos direito a internamento...!!

Explique o colega o que significa "acabaram-se os exames...acabou a revolta!!!??????????"

 

Anonymous paulo said ... (sexta-feira, 01 setembro, 2006) : 

CADBARAM OS EXAMES......... (Esta é facil) - basta ler o novo Regulamento de Admissão.
ACABOU A REVOLTA - toda a gente perde mais um aninho a fazer estágio (basta tirar umas fotocópias, servir uns cafés, ou fazer umas estafetas, e lá se passa assim 1 ano, sem receber 1 tostão), e pronto, felizes como dantes.

Espero que tenha percebido, Sr. Pinto Coelho.

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (sábado, 02 setembro, 2006) : 

Bem! Perceber eu percebi ... só que ainda não compreendi...!!!

Pelo que sei o novo regulamento de admissão ainda não foi aprovado pela OA e não sei se poderá sê-lo.

Como já foi divulgado no Blog existe um acórdão do STA que considera inconstitucional o anterior RIA e todas as disposições da OA que obstem à inscrição dos licenciados de quaisquer das muitas Universidades onde se leccionam cursos de arquitectura.

É ainda prematuro dizer como as coisas irão ser ...!!

Muito embora me pareça que as actuais propostas possam ser adequadas, embora o tempo de estágio previsto me pareça excessivamente longo ...

Tempo excessivo para andar a "... dobrar desenhos, tirar fotocópias, fazer recados e servir cafés ..."

Creio que a OA deve ver muito bem o que vai fazer a partir de agora se não quer hipotecar o futuro de todos os Arquitectos (presentes e futuros).

Não falemos por isso de coisas em aprovação como se já estivessem aprovadas, porque são coisas diferentes...!!

 

Anonymous pedro silva said ... (sábado, 02 setembro, 2006) : 

Caro colega Pinto Coelho

O regulamento já foi aprovado e ratificado pelo CDN a 18 de Julho e apreciado pelo Conselho Nacional de Delegados a 21 de Julho. Portanto está aprovado.

Por agora as coisas parecem estar pacificas para a Ordem. No entanto existem despachos acusatórios do Ministério Público declarando que os estágios são ilegais porque a Ordem não pode estabalecer regras de aplicação externa, isto é, só pode estabelecer regras que se apliquem aos seus membros e não áqueles que ainda não o são, logo o estágio torna-se ilegal por se aplicar áqueles que ainda não são membros efectivos da Ordem.

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (sábado, 02 setembro, 2006) : 

Colega!!

Obrigado pelo esclarecimento.

Pelo que parece a "bordo" tudo está calmo, mas o "mar" continua encapelado...! E por isso o barco continua a navegar mal...!!

As coisas as partir de agora nunca mais serão como eram ...!! Pois os problemas e as questões legais vão continuar a aparecer e até aquilo que pareceria pacífico ... pode deixar de o ser...!!

Os exageros poderão inverter-se...!! E até o que pareceria razoável se transforma em intolerável... !! Assim aprenderemos todos...!!! Até a OA e, pode ser, que da pior maneira...!!

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (sábado, 02 setembro, 2006) : 

Por falar em regulamento de admissão...!!

Por acaso alguém conhece o texto aprovado...?

Será que o pode disponibilizar?

Agradeço desde já...!!!

 

Anonymous João Almeida said ... (sábado, 02 setembro, 2006) : 

Não se denomina Regulamento de Admissão (RA), passando a chamar-se Regulamento de Inscrição (RI).
Foi publicado na integra no Boletim Arquitectos do mês de Agosto.

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 04 setembro, 2006) : 

Não foi não. Os anexos não foram publicados e poderão esconder muita coisa. A ver vamos.

 

Blogger mia said ... (sexta-feira, 08 setembro, 2006) : 

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 20 dezembro, 2006) : 

Por acaso acho engraçado as pessoas criticarem por criticar.
Nem tudo o que foi dito aqui é verdade mas também nem tudo é mentira.

Penso que para evoluir-mos na nossa profissão devemos criticar! Mas também acho que essas criticas deveriam, ser feitas em local próprio. Se não, estas não nos servem de nada.

Onde estavam vocês no ultimo congresso da Ordem dos Arquitectos?
Porque não expuseram lá as vossas críticas e não apresentaram lá as vossas soluções?

Sem outro assunto
Obrigado

 

Anonymous Anónimo said ... (terça-feira, 19 março, 2013) : 

Brokersring.com - Learn how to turn $500 into $5,000 in a month!

[url=http://www.brokersring.com/]Make Money Online[/url] - The Secret Reveled with Binary Option

Binary Options is the way to [url=http://www.brokersring.com/]make money[/url] securely online

 

post a comment