quarta-feira, fevereiro 22, 2006

EMITIDO NOVO PARECER CONTRA PROCESSO DE ADMISSÃO À OA

Noticia no "Construir.pt"






Ana Baptista


21 de Fevereiro de 2006


"O Conselho Superior de Obras Públicas e Transportes (CSOPT) emitiu um parecer relativo à questão do exame de admissão à Ordem dos Arquitectos e à diferenciação entre cursos.

O parecer dá, à semelhança de um outro emitido pelo provedor da Justiça em Outubro passado, razão aos estudantes e concorda com as exigências destes face aos processos de admissão.

De acordo com o parecer o regime de acesso revelou «irregularidades» pois obriga a «um reconhecimento prévio dos cursos de licenciatura que já foram homolgados pelo ministério da tutela», adiantando ainda que as ordens «não têm delegação para regulamentar o acesso». O parecer questiona assim a competência da Ordem dos Arquitectos na avaliação da qualidade dos cursos.

Isto porque, actualmente, no processo de admissão, a Ordem faz uma clara distinção entre cursos acreditados, cujos alunos têm entrada directa na OA depois do estágio, e os cursos reconhecidos, cujos alunos são obrigados a realizar um estágio e um exame de admissão.

Contactada pelo Construir, a Ordem não se quis pronunciar sobre o assunto por não ter ainda recebido oficialmente o parecer, remetendo comunicados acerca do assunto para mais tarde."

Comments on "EMITIDO NOVO PARECER CONTRA PROCESSO DE ADMISSÃO À OA"

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 22 fevereiro, 2006) : 

"a Ordem não se quis pronunciar sobre o assunto por não ter ainda recebido oficialmente o parecer"

Querem ver que a a Ordem não sabe do que se trata, nunca ouviu falar, bela democracia a nossa.

 

Anonymous Pedro lopes said ... (quarta-feira, 22 fevereiro, 2006) : 

O cerco está cada vez mais apertado.

Ontem houve uma reunião. A ordem parece que já está de acordo com QUASE TUDO.

Só falta o QUASE TUDO.

Paciência. è só mais um pouco.

 

Anonymous arq! said ... (quarta-feira, 22 fevereiro, 2006) : 

"acordo com QUASE TUDO"

Quando os processos começarem a cair nos cor_os de quem nos tramou não haverá acordo para quase nada. jÁ sabem do colega que meteu o processo em 2002, o ministério Público também vai avançar com a queixa e agora com os pareceres desta entidade, ai ai alguem vai ter de pagar.

 

Blogger BiPri said ... (quarta-feira, 22 fevereiro, 2006) : 

A todos os interessados:

A APELA já tem a versão "carimbada e assinada" do parecer do CSOPT - foi entregue em mãos hoje!

Tal como prometido, começarei imediatamente a tratar das demarches necessárias para que todos a recebam (uns por mail, outros por fax e ainda outros tantos por correio).

MAS PEÇO UM FAVOR!!!

Por favor não desatem já todos a telefonar-me, senão não consigo trabalhar!!! Aguardem até 6ª feira. Se até lá ainda não tiverem recebido nada, aí sim podem começar a bombardear-me. ;)

O prometido é devido!!!

Um ABRAÇÃO a todos,

Diogo Corredoura.

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 22 fevereiro, 2006) : 

Venha ele, assim a Ordem já não têm razões para dizer que:

"não se quis pronunciar sobre o assunto por não ter ainda recebido oficialmente o parecer"

Vamos ver o que a OA diz desta vez

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

....agora q o parecer está ai oficialmente, era interessante q fosse parar à comissão do trabalho, q está em discussão até amanhã dia 24/02/2006 a revisão do 73/73

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

eu acho que deveria ser organizada uma nova manifestação.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

Já se fala nisso, mas não é para já.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

Então é para quando?????????

 

Blogger BiPri said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

Quando disse todos, obviamente que me estava a referir também às entidades com as quais a APELA tem contactado, entre elas:

- Comissão do Trabalho;
- Comissão da Educação;
- Comissão dos Assuntos Constitucionais;
- Grupos Parlamentares;
- Provedor de Justiça;
- Procuradoria Geral da República;
- MCTES;
- Direcção-Geral do Ensino Superior;
- etc, coisa e tal...

;)

Já está a seguir caminho!

Um abraço,

Diogo Corredoura.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

primeiro ministro?
presidente da republica?
partidos?
minstros?
Para não dizerem que não sabiam.


Diogo, eles andam de cabeça perdida, já não sabem o que fazem!!!

 

Anonymous arq! said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

O que eles faziam era abandonar os cargos de incompetência e serem processados pelos danos causados, inadmissível que pessoas que ocupam cargos desta natureza tenham legitimidade para poder causar tantas injustiças com base em fundamentos ilegais.

Faça-se JUSTIÇA neste caso explicito de abuso de poder, chega de abusos!

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

Discordo profundamente. Não se trata de incompetência mas sim de um misto de má vontade e protecção dos interesses cooperativistas. Esses camel....s refugiam-se em subterfúgios legais para empatar ao máximo um processo que é já de si inevitável, por forma a garantirem o seu quinhão pelo máximo de tempo possível. Contudo, a pressão actual já começa a fazer os seus estragos e a ordem mais cedo ou mais tarde vai ter de ceder, ou acabará esmagada pela maioria. Sim, porque já estou farto desse conjunto de arquitectos, que não nos conhecem de lado nenhum, que não fazem mais nada do que dar cabo da vida dos colegas, beneficiando indirectamente todos aqueles que nos fazem a verdadeira concorrência sem terem habilitações para tal...
Como almejo o dia em que poderemos esfregar o famigerado cartão bordeaux nas ventas da Roseta…

A todos um abraço e toda a solidariedade nestes tempos de luta….


Tosse Cavernosa, ARQUITECTO (e não só licenciado em arquitectura, como eles gostam de nos chamar).

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

O tempo deles está a chegar ao fim. Está na hora de por a ordem fora... A luta continua.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

Já repararam que as promessas da Salema foram mais uma aldrabice pegada do que outra coisa, e a unica coisa que fez foi permitir que os licenciados fossem prejudicados, esta senhora merece a rua e espero que apareça alguem para assumir um cargo que serve para defender os arquitectos .

Ainda não houve uma inica mudança que melhora-se a profissão do arquitecto a não ser a criação de mão de obra gratuita através dos estágiários a alguns arquitectos da nossa praça!

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

Essa da designação também tem piada! Acabei o meu curso (reconhecido), e era LICENCIADO EM ARQUITECTURA. Agora estou a estagiar, sou ARQUITECTO ESTAGIÁRIO. Depois do meu estágio ser aprovado (oxalá que sim) e antes de realizar o famigerado exame serei o quê? ARQUITECTO "PÓS ESTAGIÁRIO"? Ou ARQUITECTO "AINDA NÃO ADMITIDO"? Como é a designação da respectiva categoria profissional? E hipoteticamente, se tiver mesmo de fazer o exame, e caso chumbe (como chumbei no exame de 2003, em que passaram apenas 2)? Serei ARQUITECTO "REPROVADO"? Ou ARQUITECTO "RECUSADO"? Ou serei ainda despromovido à categoria inicial de apenas LICENCIADO, ou pelo contrário manterei a condição de ARQUITECTO ESTAGIÁRIO? Afinal, o que somos todos nós durante este processo todo em que fazem pouco da nossa cara e do nosso espírito! Esta Ordem dos Arquitectos é uma anedota pegada! Como tudo o que se lá passa...Por isso não desistirei e irei até ao fim, para que a verdade não passe impune, quer nos tribunais, quer fora deles.
Saudações arquitectónicas a todos os resistentes!

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

Caro anónimo:

Tal como os outros, após acabar o estágio deixará de ser arquitecto-estagiário e passará a ser tratado por Senhor.

É assim que a Ordem Procede.

 

Blogger BiPri said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

Ora eis que finalmente a OA se pronuncia sobre a Recomendação do Provedor de Justiça!!!

Já obtive o documento e já o enviei para todos os contactos.

Dando seguimento à resposta que já havia dado a quem requereu a admissão imediata ao abrigo da recomendação, a OA discorda com o Provedor no essencial, apenas acatando as recomendações de carácter mais ligeiro, fácil e imediato.

Ainda bem para nós!!! ;)

Espero que brevemente o administrador do blog disponibilize o documento aqui no espaço cibernético.

"(...) e no entanto ela move-se"!!!

Diogo Corredoura

 

Anonymous Pedro lopes said ... (quinta-feira, 23 fevereiro, 2006) : 

Ainda bem para nós como???????????

Realmente seria mais fácil e rápido inscreverem-nos como membros efectivos do que pedir uma nova autorização legislativa e tentar altarar oa estatutos da Ordem para nos tentar tramar.

è por isso que dizes ainda bem para nós?????????

 

Blogger BiPri said ... (sexta-feira, 24 fevereiro, 2006) : 

Sarcasmo e ironia, acomodados com um piscar de olhos. ;)

Mais uma resposta da OA que joga a nosso favor em todo esta processo. Então se a OA diz claramente que não vai acatar as recomendações essenciais do Provedor de Justiça, isso não é bom para nós???

Claro que sim!!! Mas apenas dentro do contexto actual de negligência e teimosia da OA. O ideal seria, obviamente, que a OA desse a face e assumisse todos os erros cometidos, o que significaria a admissão imediata de todos os licenciados (os que estão para trás e os que estarão para a frente) e o despoletamento dos mecanismos necessários à alteração do Estatuto da OA por nova Lei de Autorização Legislativa. Aí sim, com o Estatuto legal e com a devida atribuição de funções por parte do Estado, a OA poderá alterar o sistema de admissão que ainda deveria estar em vigor: entrada directa.

Resumindo, quando os juízes, o Provedor de Justiça, a Procuradoria Geral da República, etc coisa e tal, lerem o documento, mais uma vez nos darão razão!

E isso será benéfico para os processos que decorrem nas várias instâncias contra a OA e a sua postura.

Em suma, isso será óptimo para nós!!!

Diogo Corredoura

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 24 fevereiro, 2006) : 

A única coisa que ela acita ou diz acatar é a manutenção do exame tal como ele está.


Quanto ao resto está tudo na mesma.

Diz que só por decisão judicial ou então se "tal for delibarado pelos órgãos próprios da Ordem", e esta história da deliberação é nova, mas é só tanga.

Se hovesse vontade era apenas uma questão de procedimentos, e isso seria rápido.

Se lavaram tantos meses a resoponder ao Provedor e tudo o resto, então é porque não querem mudar nada.

Com quem estarão comprometidos?????????????????????????????????????????????????????

Vamos tendo paciencia e aguentando esses cabrões

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 24 fevereiro, 2006) : 

vamos tendo paciência mas é para esperar pela resolução dos processos em tribunal. aí é q eles vão ver!

já agora, como é q está a providência cautelar?

 

post a comment