quarta-feira, março 08, 2006

PETIÇÃO - SISTEMA DE ADMISSÃO DA ORDEM DOS ARQUITECTOS

"A todos os interessados,

Está disponível em anexo a Petição "Sistema de Admissão da Ordem dos Arquitectos", a qual já está a circular para a recolha das assinaturas necessárias para levar a questão do sistema de admissão da Ordem dos Arquitectos a discussão no Plenário da Assembleia da República.

São necessárias pelo menos 4.000 assinaturas, pelo que se agradece a ajuda de todos para atingir o objectivo.

A petição não pretende ser uma acusação à Ordem dos Arquitectos e relata apenas factos, solicitando que a Assembleia da República, perante a grandeza e gravidade das acusações feitas, tome, adopte ou proponha as medidas que considere necessárias para o completo esclarecimento da questão.

A assinatura da petição não compromete o signatário com nenhuma posição. A assinatura significa apenas a expressão da sua preocupação com a matéria e o pedido para que a Assembleia da República despolete os mecanismos necessários ao completo dissipar das dúvidas existentes, naquilo que não é mais do que um acto de cidadania e um direito que assiste a todos. Dada a necessidade de coordenação e centralização do processo de recolha das assinaturas, foi proposto que a função fosse assumida pela APELA, a qual aceitou tomar para si a gestão das questões logísticas.

Assim sendo, as folhas com assinaturas deverão ser enviadas para:

Associação Portuguesa de Estudantes e Licenciados em Arquitectura

Ninho de Empresas da ARQCOOP
Rua João Nascimento Costa, Lote 7 1900 - 269 Lisboa

Agradecemos desde já a sua colaboração!
Gratos pela preciosa atenção e com os melhores cumprimentos,

Diogo Corredoura. (919437239)"


PETIÇÃO - SISTEMA DE ADMISSÃO DA ORDEM DOS ARQUITECTOS
(documento em formato PDF)

Comments on "PETIÇÃO - SISTEMA DE ADMISSÃO DA ORDEM DOS ARQUITECTOS"

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

bora lá pessoal!!! agora é q eles vão ver do que somos capazes!!!

4000?!? a malta vai é arranjar 8000!!!

 

Anonymous csi: said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

Vamos a isso, eu já comecei a recolher, façam o mesmo :D

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

Arranjar assinaturas sobre este assunto não vai ser nada difícil. Eu já comecei e já arranjei mais de uma dezena em pouco tempo. Agora é que vai ser. Assim é que é trabalhar.

 

Anonymous Paulo Cordeiro said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

Ordem dos Arquitectos só para arquitectos! Nada de designers e coisas do géneros...leiam as directivas europeias, que falam em arquitectos inscritos nas ordens e não os outros "frustrados" que não são arquitectos que querem se-lo! Tenho dito!

 

Anonymous Bárbara Martins said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

É de facto muito triste falar-se do que não se sabe.. Se calhar valia a pena informar-se antes de comentar um assunto... ler um pouco... talvez não lhe fizesse mal. Podia até ser que num próximo comentário conseguisse disfarçar um pouco a sua ignorância. Tenho dito!

 

Anonymous o destravado said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

Toda a gente, mas toda, deverá arranjar o maior numero de assinaturas. Só com mais de quatro mil assinaturas é que será possivel que este assunto seja discutido na assembleia da Republica.

Para incomodar ainda mais, sempre que haja uma iniciativa da Ordem, deveremos por-nos à porta do local com uma barraca a recolher assinaturas. Já propuz isso quando a salema foi para a feira do livro pedir assinaturas, mas não quizeram ir.

Força camaradas d' armas. Não tenham medo nem vergonha de pedir assinaturas. Vergonha é querermos exercer a nossa profissão e termos de pedir aos outros para assinarem os nossos projectos.

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

Sr. Paulo Cordeiro:

Qual é o seu problema?????????

Não tem trabalho?

Pelo seu vocabulário deve ser mais um dos craques que estão a mamar na Ordem e que de actos próprios da profissão não tem nada, daí a sua FRUSTAÇÃO em relação aos OUTROS.

Estes Outros, muitos deles, para trabalhar, infelizmente estão a ter de partilhar os seus trabalhos com mamões, que talvez tenham sido seus colegas de universidade.

Não existem arquitectos e arquitectos, apenas existem licenciados em cursos de arquitectura, que se inscrevem na Ordem passando a usar o titulo profissional de Arquitecto. De acordo com a Lei, nacional e comunitária. Se não sabe informe-se.

Agora o que existe é toda a situação que se sabe, em que a Ordem tem impedido que alguns exerçam a profissão de arquitecto.

Curiosamente alguém tem ficado beneficiado com esta situação. Quem será?? Já existe um processo na Procuradoria-Geral da Republica, que se se lembra de mandar investigar esta vertente, talvez se descubra porque é que isto acontece. Já temos assistido a situações insólitas com universidades, pelo que a descobrir-se alguma convergência de interesses e intenções não seria inédito nestes pais que já esteve considerado como o mais corrupto do mundo. Uma vergonha.

Portanto, remeta-se à sua situação de lacaio ou de pretenso boy da Ordem e junte-se ao Ricardo Dias e joguem uma partidinha ás cartas para matar o tempo.

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

nao podem fazer a petição na internet?

 

Anonymous CSI: said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

Bastonária da Ordem dos Arquitectos Participou

"Quando vi as imagens de demolição no bairro da Azinhaga dos Besouros pensei que estava a ver uma coisa do tempo da ditadura"

diz Helena Roseta. A bastonária da Ordem dos Arquitectos foi uma das cerca de 150 pessoas que se concentraram ontem à porta da residência oficial do primeiro-ministro ..."


Esta senhora é mesmo oportunista, incrivel

 

Blogger BiPri said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

A APELA já apresentou uma petição on-line ao Parlamento. Mas nada nos garante que ela seja admitida ou que, sendo-o, que a Comissão encarregue da mesma lhe dê o seguimento desejado.

Esta outra petição das 4.000 assinaturas é para que a questão saja obrigatoriamente discutida no Plenário da Assembleia da República. Conseguindo as 4.000 (no mínimo), é obrigatória a sua publicação em Diário da República e a sua discussão no Plenário.

Um abraço,

Diogo Corredoura.

 

Anonymous JC said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

Não sou arquitecto e a minha profissão é, felizmente, livre. Mas já tive o meu quinhão de dificuldades provocadas por lobbies ilegítimos disfarçados de organismos de certificação, e por isso apoio a 100% a vossa luta.

Força, partam a loiça!

 

Blogger arqportugal.blogspot.com said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

O assunto também já foi divulgado no Blog ablasfemia

autor:
Carlos de Abreu Amorim
Escola de Direito da Universidade do Minho
Campus de Gualtar, 4710-057 Braga

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

Esta petição é um verdadeiro acto de cidadania!

Seria interessante que a IMPOSTORA Helena Roseta também a subscrevesse. Isto porque esta senhora enche a boca com acções cívicas, liberdade, cidadania, movimentos de cidadãos, etc., e tal. Lembram-se da campanha do Manuel Alegre?
É claro que isto são outras contas; democracia para nós, ditadura para os outros. É o que a senhora faz.

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 08 março, 2006) : 

temos é d começar a espalhar isto rapidamente e a divulgar por tudo quanto é lado.

já vi q ta qker coisa no www.forumarquitectura.com.

Será q há mais? Bora lá pôr a blogosfera a comentar isto!!!

e toca de chatear o Cavaco a partir de amanhã!!!

 

Blogger ... said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

"Portanto, remeta-se à sua situação de lacaio ou de pretenso boy da Ordem e junte-se ao Ricardo Dias e joguem uma partidinha ás cartas para matar o tempo."

Olhe, caro anónimo (condição de cobarde, que outra poderia ser), ao contrário de si, eu trabalho e sim perco tempo com isso, mas nem tive preocupação em pagar 120 euros para pertencer à dita OA e no entanto, não milito no IEFP, mero acaso, sorte?...há sim, pois, eu tenho por ai conhecimentos na Ordem não é? Deve ser isso!

Corre por ai uma ideia, que diz mais ou menos isso:

A partir do momento, em que tiver um nº da OA, o mercado de trabalho, vai-me acolher de braços abertos, enfim, situação rizível. Vocês dependem da qualidade do vosso trabalho para almejar emprego. Mas todos queremos deixar a porra da nossa assinatura...

Não acham estranho, que existam estagiários (e alunos) a ganhar 6 euros à hora e arquitectos a não ganhar isso? Há pois, sorte? Conhecimentos na OA, corrupção...Nunca consideraram a hipotese, do mercado simplesmente escolher os melhores? Nunca foram a uma entrevista de pré selecção, através de portfólio, para posteriormente serem preteridos por um arquitecto, que simplesmente é melhor? Pois, porque somos todos muito bons...e as culpas, vão para alguém, sempre!

Caro anónimo, ASSINE, está com medo que um possível empregador o reconheça?

P.S.

(e esta missiva, é apenas para o dito anónimo)

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

"A partir do momento, em que tiver um nº da OA, o mercado de trabalho, vai-me acolher de braços abertos, enfim, situação rizível. Vocês dependem da qualidade do vosso trabalho para almejar emprego. Mas todos queremos deixar a porra da nossa assinatura..."

mas este palhaço ainda n aprendeu?!?

Pelos vistos não... dá msm mt trabalho ler as coisas p saber q o q está aqui em causa n é a entrada no mercado de trabalho, a qualidade das escolas, o revanchismo contra engenheiros e desenhadores, a assinatura ou a qualidade do trabalho de cada um.

O Q ESTÁ AQUI EM CAUSA É A LEGALIDADE DO SISTEMA DE ADMISSÃO DA OA!!!

com o resto, cada um que se desenmerde. é q, como bem dá a entender com a frase sobre a qualidade do trabalho, vai ser o mercado a dizer quem tem ou n a dita. mas isso é outra guerra, QUE N SE DISCUTE AQUI!!!

já andava desaparecido à muito tempo, pensava que voltava com mais humildade e sabedoria.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

já agora, cá vai a tacada sobre a bela da gramática:

escreve-se "ah sim, pois" e n "há sim, pois" (há o quê: muitos pois?);

escreve-se "eu tenho por aí conhecimentos na Ordem" e ñ "eu tenho por aí conhecimentos na Ordem"

escreve-se também "vai acolher-me" e n "vai-me acolher".

e escreve-se ainda "Não acham estranho, que existam estagiários" e n "Não acham estranho, que existam estagiários"

e ainda "hipótese de o mercado" e n "hipotese, do mercado"

só alguns exemplos. e nem vale a pena vir falar da minha escrita. sabe, escrevo assim por opção d poupança de tempo (aquela coisa q diz q tb n abunda aí por esses lados pq trabalha - é q eu tb trabalho, como todos os licenciados q estão a lutar activamente por esta causa). n escrevo assim por burrice, ignorância ou iliteracia.

 

Anonymous arq! said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

Ricardo não seja oportunista, vir para aqui falar de si próprio sem comentar o problema efectivo demonstra uma infantilidade, aqui discute-se efectivamente a ilegalidade do sistema de admissão da OA.

gosto da modestia do rapaz:

"Corre por ai uma ideia, que diz mais ou menos isso:

A partir do momento, em que tiver um nº da OA, o mercado de trabalho, vai-me acolher de braços abertos, enfim, situação rizível."

Ele acha que os colegas não conhecem o mercado de trabalho, e tem a mania que existe apenas uma realidade de trabalho, a tua conversa é um pouco triste, vens para aqui com a mania que desocbriu a pólvora mas assunto concreto não discutes.

E já agora sr. arquitecto (já sabemos que tens nº) subscreva a petição.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

Como todos sabem:
"O Povo unido jamais será vencido"
Força pessoal estou nesta batalha à cinco anos, e penso que é desta que as coisas se vão resolver, a final a esperança é a última a morrer. Apesar da minha esperança estar acamada, não recorro à eutanásia.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

o assunto foi ontem "postado" em

http://ablasfemia.blogspot.com

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

Agora que o Sr. Presidente da República tomou posse, é preciso apresentar-lhe a situação. A pateta da Helena não o apoiou...

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

Eu nao sou arquitecto mas sim Licenciado em Engenharia Civil(que é assim que a O.E. nos trata ), Um simples licenciado. Um licenciado que para ter o curso concluido teve de ter aprovação em mais de 50 exames na universidade onde estudou, ter gasto muito dinheiro (que saiu do meu suor a trabalhar) para ter o canudo, e agora... que conclui, chego ao fim e vejo que nao tenho nada para começar a trabalhar na area que desejei desde o inicio do curso, pois a O.E. diz-se associação Publica e impede os licenciados de entrar sem serem submetidos a um exame???Que tem uma percentagem de chumbo elevadissima,que nem sequer é mostrada!!!Será vergonha de os mostrar???Será que existe assim tantos burros a chumbar neste exame??Nao será manipulação de resultados??Tipo nao abrir mto a torneira, pois para o ano temos de ter mais xxx de euros a entrar!!) Nao consigo entender este País, pois se tivesse tirado um bacharel , ja estava a assinar projectos e ter um alvara, ou entao ter tirado um curso de construção e estar inscrito na Associação de Agentes Tecnicos de eng. e arq., que podem fazer projectos e assinar e serem responsaveis por alvaras. Neste país qto mais habilitaçoes se tem menos regalias temos!!!A verdade é que nao é um exame que diz ás Ordens quem somos, pois no casa da O.E. é assim que é feita essa avaliação, e como se nao bastasse é um exame que é realizado uma vez por ano, e os resultados saiem 5 meses depois!! Nao se entendem!!Será que nas Univ. que sao reconhecidas pela O.E. nao se cabula, nao se copia??Eu gostava era que esses Engenheiros que apenas fazem um estagio e uma prova de deontologia (que sao sempre aprovados), fossem submetidos ao exame!! Isso é eu que pagava para ver e depois queria ver os resultados!!!

 

Blogger arqportugal.blogspot.com said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

A ordem dos arquitectos plagiou o sistema da ordem dos engenheiros, por isso vivemos todos situações idênticas.

Há uns meses atrás houve um contacto aqui no blog com licenciados em engenharia electrotécnica que vivem precisamente a mesma situação, no caso deles também não podiam assinar uma ficha electrotécnica, já um electricista não tem qualquer problema para o fazer.

O sistema foi bem arquitectado, conseguiram dividir os estudantes e licenciados porque a maioria não faz exame, logo grande parte não quer saber deste problema e não incomoda a Ordem.

Isto é um problema geral que tem de ser resolvido.

Como disse alguém anteriormente "O Povo unido jamais será vencido", que sabe se a solução geral não passa precisamente por aí.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

Pois, a realidade é esta: acabei de concluir um projecto de reabilitação, e para o enviar para o IPPAR, teve que ir com uma assinatura que não a minha.

Esta é a realidade...

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

E que dizer das falsas declarações daqueles que assinam os projectos que nós fazemos? As tais assinaturas de favor... A ordem a isso obriga. É preciso levar a questão mais longe. A petição deveria era exigir desde já a suspensão do Regulamento de Admissão; ILEGAL.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

Esta situação de abranger apenas parte dos licenciados não acontece por acaso!!!!!!!!!

Esta situação provoca a concentração dos estudantes em determinadas Universidades, que por coincidência, normalmente tem bastantes submarinos nas listas das respectivas ordens.Será apenas coincidência??????????????????

Basta consultar o site do acesso ao ensino superior e ver a discrepância do nº de vagas entre as universidades ditas reconhecidas e as ditas acreditadas.

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

Qual o interesse da dos membros da Ordem nesse negócio??????????

A Salema disse em Guimarães que tinha de haver sempre vitimas, que éramos nós, mas que não podia fazer nada por causa dos direitos adquiridos das Universidades.

Que direitos são esses que se sobrepõem à Lei nacional e Comunitária.???????????????

Será corrupção?????????

Realmente era bom o ministério público investigar essas ligações entre os mebros da O.A. e algumas universidades!!!!!!!!!!!!!!!!

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

disse mebros a O.A. porque nem sei o que lhes hei-de chamar???????????????????

 

Anonymous csi: said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

Já não existem dúvidas que a Ordem dos Arquitectos não tem competências para acreditar/reconhecer cursos de arquitectura homologados pelo estado Português.
A unica justificação e até utilizada como defesa na resposta ao provedor de justiça pela Presidente Helena Roseta, é de que "a ordem dos engenheiros faz o mesmo".
Falta que a OA seja responsabilizada pelos seus actos ilegais e pela indeferença demonstrada desde que o sistema foi activado aos estudantes e licenciados.

Existem universidades que foram reconhecidas pela OA que ainda não conseguiram colocar um unico licenciado no mercado de trabalho,isto é uma situação gravissima que se alastra desde 2002, devido a todas as irregularidades cometidas pela OA a que os licenciados se recusam a participar.

Aos que acham que os licenciados têm medo do exame, não se percebe, simplesmente porquê ter medo de um exame que foi disponibilizado na internet meses antes de ser efectuado? O problema tem sido a discriminação e as ilegalidades cometida pela OA com o Sistema dee admissão.

Parabéns á APELA pela iniciativa da Petição e por todo o trabalho efectuado, tem sido um exemplo de "cidadania" .

 

Blogger ... said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

"Caro anónimo, ASSINE, está com medo que um possível empregador o reconheça?"

Reitero a minha proposta, e já que falamos de palhaços, você exemplo cabal, discute erros ortográficos, obliterando o assunto de fundo... e ainda tem q explanar a diferença entre:

"escreve-se "eu tenho por aí conhecimentos na Ordem" e ñ "eu tenho por aí conhecimentos na Ordem"

"e escreve-se ainda "Não acham estranho, que existam estagiários" e n "Não acham estranho, que existam estagiários"

Isto é o q? Crítica de interpretação umbiguista?
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

"Ricardo não seja oportunista, vir para aqui falar de si próprio sem comentar o problema efectivo demonstra uma infantilidade, aqui discute-se efectivamente a ilegalidade do sistema de admissão da OA."

O problema efectivo será sempre, SER RENUMERADO, ninguém faz isto por passatempo! Que importa a ilegalidade? Se o sístema fosse legal, era automaticamente justo? Disparate! Ninguém inquiriu sobre a minha situação perante a ordem em situação de empregabilidade...Ser membro não é garante de patavina no mercado de trabalho (enfim, abre mais portas para trabalhar numa câmara), o que eu sinto sinceramente, é q estarmos ou não todos lá (OA), é indiferente, haverá sempre explorados ou desempregados...q importa pertencer a dita cuja...temos um salário que nem permite um pecúlio.

E pensem, nas miríades de indivíduos, que passaram pelo estágio, para ver o seu "exclusivo" nº da OA, passar a ser obtido por entrada directa de licenciados. Prefiro a legalização do sístema existente, à sua supressão.

 

Anonymous serpi said ... (quinta-feira, 09 março, 2006) : 

Hoje vi na tv que a ordem ia mudar a forma de admissão podem confirmar, o canal mas parecia informativo estilo a :2, vi sem ser em casa não sei precisar...

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Ó palhaço Ricardo Dias:

Também fiz estágio e conclui-o com aproveitamento à primeira. No entanto pela forma de admissão que tu defendes " QUE SE LEGALIZE " enquanto outros que fizeram estágio, e que tiveram de reformolá-lo, talvez como tu, neste momento encontram-se inscritos na ordem, eu não me encontro inscrito PORQUE O MEU CURSO É RECONHECIDO.

VAI BARDAMERDA MAIS A A LEGALIZAÇÃO DO SÍSTEMA EXISTENTE

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Caros:

não percamos tempo com gente insignificante, como este RICARDO DIAS!

Como todos sabemos, e assistimos diáriamente, neste triste e corrupto país, não é o valor ou o curso ou a assinatura de um arquitecto, que lhe dá trabalho!

"que limitada vai ser a minha inteligência rodeada de tanta ignorância!!!"

Falemos de assuntos sérios: quanto mais assinaturas, melhor.

ra

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Atenção pessoal, eu sou "apenas" licenciada em Arquitectura e sou responsável por um Alvará de construção, por isso agarrem pelo menos esta oportunidade.

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

"Atenção pessoal, eu sou "apenas" licenciada em Arquitectura e sou responsável por um Alvará de construção, por isso agarrem pelo menos esta oportunidade."
Gostava que me informasse se o IMOPPI não pede declaração de inscrição na OA, para ser responsável por um alvará.

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Há que proceder da seguinte maneira: enviar um fax para a OA, com o nº de membro estagiário e pedir uma declaração para efeitos de entrega no IMOPPI. Depois entrega-se essa declaração à empresa de construção que lhe quer contratar e eles tratam de tudo.

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

"Há que proceder da seguinte maneira: enviar um fax para a OA, com o nº de membro estagiário e pedir uma declaração para efeitos de entrega no IMOPPI. Depois entrega-se essa declaração à empresa de construção que lhe quer contratar e eles tratam de tudo."
Eu já pedi à ordem uma declaração para efeitos de alvará e eles não emitiram.

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Eles não precisam de emitir para efeitos de alvará.

Vocês apenas precisam pedir uma declaração à Ordem com a vossa situação. Dizendo que se encontram a fazer estágio ou que já o terminaram. Não é preciso mais nada.

De qualquer modo se eles se recusarem, basta o certificado de curso.

 

Anonymous csi: said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

E então colegas já têm muitas assinaturas? Eu já tenho um folha completa só já faltam 199 folhas :D.

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

"E então colegas já têm muitas assinaturas? Eu já tenho um folha completa só já faltam 199 folhas :D."
Eu já arranjei 60 assinaturas e espero nas próximas duas semanas chegar às 200.

 

Anonymous csi: said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Óptimo trabalho, 60 assinaturas é muito bom, de qualquer forma quando disse que já tinha uma folha não quer dizer que não vá arranjar mais :D

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

pois, eu tb já vou em 53 assinaturas, até quando se pode enviar as folhas para a APELA?

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Esperemos que desta vez todos apoiem esta causa, e que ninguém fique a espera que os outros lhes resolvem o problema. TEMOS DE SER UNIDOS.

 

Blogger BiPri said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Podem enviar as assinaturas quando o entenderem. Só quando passarmos as 4.000 recebidas é que iremos estabelecer uma data limite, para que as pessoas enviem as que ainda tiverem consigo.

Mas vão enviando à medida que tiverem 1, 2 ou 10 folhas. Façam a vossa própria gestão da matéria. Eu vou entregar as minhas quando vir que já esgotei a hipótese de recolher mais. Mas eu posso entregá-las em mão, pelo que o meu exemplo não deve ser seguido.

Assim sendo, peço que as enviem quando tiverem um número aceitável (penso que 10 folhas - 100 assinaturas - é um número porreiro para ser enviado). É que assim teremos uma noção mais correcta do andamento da recolha.

Para os que não tenham hipótese de recolher muitas, não faz mal. Nem que enviem a folha só com a vossa assinatura.Ainda hoje recebi uma única assinatura por correio. Foi a primeira e veio do Alentejo!!! LOL Ainda dizem que os alentejanos são lentos... ;)

Enfim, quantas mais tivermos e quanto mais cedo as pudermos entregar, melhor.

Qualquer coisa como 10.000 assinaturas até à Páscoa será sonhar muito?

10.000, leram bem. Gostava que conseguíssemos calar muitas bocas que andam por aí a dizer asneiras e a menosprezar o nosso trabalho.

"Nosso", aqui, é de nós todos, estudantes e licenciados.

Um abraço e obrigado pela ajuda!!!

Diogo Corredoura

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

"O problema efectivo será sempre, SER RENUMERADO"

"Que importa a ilegalidade?"

Isto diz tudo sobre a personagem Ricardo Dias.

Oh Ricardinho, a tua ULHT é tão boa que agora nem acreditada é. E só conseguiram a revalidação do reconhecimento em Fevereiro último. À rasca!...

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

pois é ricardinho. e o plano de estudos é o mesmo q tu frequentaste!

ou seja, se estivesses ainda a fazer o curso (e n necessariamente por ter chumbado, bastava q tivesses entrado apenas no ano lectivo 2000/2001), agora tinhas d fazer o estágio e depois o exame.

se assim fosse, se calhar agora cantavas de outra maneira.

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

A apela não poderia propor á Ordem dos arquitectos que começasse a fazer uma reciclagem dos arquitectos inscritos, sim talvez de cinco em cinco anos, talvez um exame, pois assim deveriam resolver o problema deles,talvez a propria bastonaria assim desse o lugar a outro ...e talvez a nossa arquitectura deixasse de ser tão má que das maior parte das vezes é feita pelos proprios que nos criticam

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

a morada é mesmo necessaria...

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

o espaço para o nome, assinatura e o numero do BI não se deveria resumir apenas ao nome e ao numero talvez assim houvesse mais espaço para assinar, e a morada deveria desaparecer

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Lido no site da oasrs.org, na secção de "Notícias do Dia":

"A licenciatura em arquitectura da Universidade Lusófona de Humanidades recebeu o "SELO DE QUALIDADE" académico, ao ser reconhecida pela Ordem dos Arquitectos (AO). O plano de estudos agora reconhecido pela AO prevê que a licenciatura tenha uma duração de cinco anos, a tempo inteiro, a que correspondem cerca de quatro mil horas lectivas. Este reconhecimento significa que os detentores desta licenciatura têm agora a oportunidade de se inscreverem nos estágios realizados no âmbito da AO".

Boa!!! Agora já não é a acreditação que é o "selo de qualidade". É o reconhecimento!!!

Estes gajos só dão para rir...

Ah, e é bonito ler um texto tão elogioso à qualidade académica de uma universidade no site da Secção Regional Sul da OA. Sim senhor!

Mas já agora... Onde é que está o elogio às outras faculdade reconhecidas? E às acreditadas? Bem, os elogios à "qualidade académica" devem ser qualquer coisa como "FANTÁSTICO CURSO" ou "UM DOS MELHORES DO PAÍS" ou ainda "GALÁCTICO".

Sem desprimor à Lusófona. Não se critica a faculdade. Somente a postura da OA pela falta de coerência e isenção.

 

Blogger BiPri said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

A assinatura é obrigatória nas petições realizadas em papel. Só essa indica que a pessoa realmente a subscreveu.

E é o número do BI que torna possível ao Ministério Público, se assim o entender ou se lhe for solicitado, a averiguação da sua autenticidade.

A questão da morada surgiu porque a Lei do Direito à Petição é vaga em relação à mesma. Apenas diz:

"ARTIGO 9º
5. A entidade destinatária convida o peticionante a completar o escrito apresentado quando:
a) Aquele não se mostre correctamente identificado E NÃO CONTENHA MENÇÃO DO SEU DOMICÍLIO;
(...)
6. Para os efeitos do número anterior, a entidade destinatária fixa um prazo não superior a 20 dias, com a advertência de que O NÃO SUPRIMENTO DAS DEFICIÊNCIAS APONTADAS DETERMINA O ARQUIVAMENTO LIMINAR DA PETIÇÃO."

Na dúvida, foi deixada a morada.

Contudo, após algumas diligências, parece que, de facto, a morada poderá não ser necessária. Mantendo-se a dúvida, acho preferível ter elementos a mais do que a menos.

Também, quem dá a assinatura e o número do BI não deveria ter problemas em indicar a morada. Pode fazer-se mais "estragos" com esses elementos do que com a morada.

Diogo Corredoura

 

Blogger ... said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

"Ó palhaço Ricardo Dias:

Também fiz estágio e conclui-o com aproveitamento à primeira. No entanto pela forma de admissão que tu defendes " QUE SE LEGALIZE " enquanto outros que fizeram estágio, e que tiveram de reformolá-lo, talvez como tu, neste momento encontram-se inscritos na ordem, eu não me encontro inscrito PORQUE O MEU CURSO É RECONHECIDO.

VAI BARDAMERDA MAIS A A LEGALIZAÇÃO DO SÍSTEMA EXISTENTE"

Caro colega, se conseguir obter um ateliê, onde a palavra moral exista, não depende da ordem dar-lhe ou não idoneidade para exercer a profissão, você ou sabe ou não sabe, quando for a uma entrevista de emprego, vai exibir a sua inscrição da OA, inscrita na testa? Não vai pois não? Qual é o seu problema? Quer ir para uma câmara? (pois, não pode) Fazer avaliações imobiliárias? (pode à vontade) Dirigir obras? Não isto não, porque se existe sacanice neste país para com os clientes, esta sacanice é dirigir obras. E quem anda por ai em empresas para emissões de álvara, bem, não é preciso dizer mais nada...há ilegalidades ao qual, qualquer arquitecto fecha os olhos.

E repare, o que me preocupa é com a vossa defesa, se a questão é puramente a falta de justeza no acesso a OA, porque é que o mote é a ilegalidade...nunca entendi! Eu não tenho qualquer problema com o estágio e exame, desde que seja igual para todos.

--------------------------------------------------------------------------------------------

"pois é ricardinho. e o plano de estudos é o mesmo q tu frequentaste!

ou seja, se estivesses ainda a fazer o curso (e n necessariamente por ter chumbado, bastava q tivesses entrado apenas no ano lectivo 2000/2001), agora tinhas d fazer o estágio e depois o exame.

se assim fosse, se calhar agora cantavas de outra maneira."

Não não é, não difere na essência, tem mais umas disciplinas e a chamadas "opções" nos últimos anos do curso. E isto não são tretas! Os dois anos de acreditação da lusófona, tinham planos de estudo diferentes...

Consta q até ao fim do ano, vai voltar a ser acreditada, apanhando os alunos que agora vão apresentar tese...se merece, não merece, não sei, nunca a exibi como "role model" da coisa.

--------------------------------------------------------------------------------------------

"Oh Ricardinho, a tua ULHT é tão boa que agora nem acreditada é. E só conseguiram a revalidação do reconhecimento em Fevereiro último. À rasca!..."

Meu caro, dor de corno, por uma escola "low-end" como a lusófona? Há invejas q não são necessárias...

E sim, a escola é tão má quanto isso, independentemente da última notícia avançado pela OA.

 

Anonymous Anónimo said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Pergunto isso, porque a assinatura que se faz no BI, ocupa um espaço muito superior ao espaço apresentado na folha. Assim tava a perguntar se era possivel a pessoa assinar o nome de acordo como está no Bi(desde que seja legivel) e deixar o espaço da assinatura conforme o BI em branco...
Desculpa lá mas são algumas questões que me têm posto quando assinam.

 

Blogger BiPri said ... (sexta-feira, 10 março, 2006) : 

Quando assim acontecer, utilizem dois espaços. A pessoa que preencha o nome e o BI e que assine no espaço da morada. De seguida, e se a pessoa fizer o favor, que preencha o espaço em baixo novamente mas agora só com o nome, BI e morada.

Sei que é chato mas não podemos correr o risco de "perder" assinaturas. Quem fará a análise são os serviços da Assembleia da República mas prefiro que se elimine um espaço porque a morada não é necessária do que sê-lo porque a mesma não estava indicada.

Mais vale prevenir...

Diogo Corredoura

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 11 março, 2006) : 

"não depende da ordem dar-lhe ou não idoneidade para exercer a profissão"

não é a OA que diz se uma pessoa é idónea ou não para o exercício da profissão. a OA só pode dizer se a pessoa (membro inscrito na ordem) cumpre ou não o código deontológico.

"quando for a uma entrevista de emprego, vai exibir a sua inscrição da OA, inscrita na testa? Não vai pois não? "

hah pois não!!! por isso é q já começam a aparecer anúcios nos jornais (de ateliers mas também de empresas de construção e mesmo de câmaras municipais) a solicitar "licenciados em arquitectura inscritos na Ordem dos Arquitectos".

além do mais, o mercado de trabalho não se resume ao trabalho por conta de outrém. quem trabalha por conta própria tem, obrigatoriamente, de poder assinar projectos. a não ser q "compre" a assinatura. mas somos contra a adulteração das boas regras, não somos Ricardinho? porque somos sérios e honestos!

"Quer ir para uma câmara? (pois, não pode)"

por acaso até podemos. ainda há muitas câmaras municipais q apenas querem técnicos municipais e não arquitectos. porquê? porque já têm arquitectos nos seus quadros mas faltam-lhes os técnicos para completar o quadro de determinados gabinetes (licenciamento, acompanhamento de obras municipais, urbanismo, etc). a expressão "técnicos" não é uma deformidade minha. é a terminologia utilizada pelas câmaras municipais e pela legislação q enquadra esta questão.

foi assim q a Câmara Municipal de Lisboa recrutou 30 licenciados em Arquitectura de PLaneamento Urbano e Territorial e Arquitectura de Gestão Urbanística nos últimos 4 anos. contra a indignação da OA, q veio para a rua bramir q não podia ser porque não eram arquitectos e os cursos só estavam reconhecidos (na altura)! ao q a CML respondeu "pois não são, não, mas nós não queremos arquitectos porque já os temos; queremos é técnicos para completar o quadro"... e a OA amochou. humm, devem ser todos primos ou tios de alguém...

é preciso não esquecer q há 305 municípios no país e q muitas (muitas mesmo!) não têm pessoal suficiente.

"há ilegalidades ao qual, qualquer arquitecto fecha os olhos."

um bom exemplo do seu pensamento sobre a idoneidade...

"o que me preocupa é com a vossa defesa, se a questão é puramente a falta de justeza no acesso a OA, porque é que o mote é a ilegalidade...nunca entendi!"

pois é claro q nunca entendeste!!! nunca te deste ao trabalho de ler a Recomendação do Provedor de Justiça! nem o parecer jurídico q lhe foi entregue a justificar o pedido de análise da situação! nem o parecer do Conselho Superior de Obras públicas e Transportes! e este último até é fresquinho (foi emitido em Fevereiro). o CSOPT é tão só o órgão consultivo da tutela da OA, o Ministério das Obras Públicas e Transportes...

já agora, o sistema de admissão não é justo precisamente porque é ilegal!!!

"Eu não tenho qualquer problema com o estágio e exame, desde que seja igual para todos."

pois nem nós!!! mas só será possível aceitar a imposição do estágio e do exame se eles forem enquadrados num sistema de admissão que seja legal. reforço a minha ideia: não é aceitar o estágio e o exame, é aceitar a imposição de os fazer de acordo com o regulamento q está em vigor e q o parecer jurídico, o Provedor de Justiça e o CSOPT dizem ser ilegal!!!

"Consta"

há muitas coisas q constam. a ilegalidade do sistema de admissão é uma das coisas q constam desde Fevereiro de 2000. a diferença é que deixou de constar q era ilegal para passar a uma constatação da sua ilegalidade!

resumo:

o autor do parecer jurídico só deve ser professor na Faculdade de Direito de Lisboa porque é primo ou tio de alguém;

o Provedor de Justiça é um parolo como nós, naif e utilizador de argumentos ininteligíveis;

e o CSOPT é um grupo de bubadolas q se junta no Martinho da Arcada para buer uns copos e escrever coisas patetas sobre a usurpação de poderes e afins.

VAI MAS É LER A PAPELADA E DEIXA DE EXPLANAR A TUA ESTUPIDEZ E IGNORÂNCIA.

 

Blogger ... said ... (sábado, 11 março, 2006) : 

"hah pois não!!! por isso é q já começam a aparecer anúcios nos jornais (de ateliers mas também de empresas de construção e mesmo de câmaras municipais) a solicitar "licenciados em arquitectura inscritos na Ordem dos Arquitectos"."

Sim, conheço várias casos de arq.tos. estagiários q ganham mais d q eu, como arquitecto de pleno direito e alguns deles, em Lx! Porquê? Talves sejam apenas bons?

"já agora, o sistema de admissão não é justo precisamente porque é ilegal!!!"

O sístema não é justo, justamente porque discrimina, legalidade não significa patavina. Não é justo, o resto, pouco importa!

"mas somos contra a adulteração das boas regras, não somos Ricardinho? porque somos sérios e honestos!"

Atira postas de pescada para o Ar? Quer acusar alguma coisa, força! Vá fazer direcções técnicas de obra e aprenda a vida!

"por acaso até podemos. ainda há muitas câmaras municipais q apenas querem técnicos municipais e não arquitectos"

Pode? Técnico municipal é o novo sinónimo de Arquitecto no léxico Português? Há coisas, que apenas vc compreende!

"é preciso não esquecer q há 305 municípios no país e q muitas (muitas mesmo!) não têm pessoal suficiente."

Sim pá, porque realmente na abertura de concursos, uma coisa q escasseia é candidatos e entrar na câmara (roll eyes) esta de não ter pessoal suficiente, é o pináculo.

Bons estágios, para todos sem excepção.

E por favor, assine!

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 11 março, 2006) : 

"Não é justo, o resto, pouco importa!"

mais um óptimo exemplo do seu pensamento filosófico. ou seja: "legalidade? tou-me a cagar se é legal ou não!" bonito exemplo. espero que os seus filhos cresçam saudáveis e que nunca entrem em corridas de carros ilegais em estradas particulares.

juiz: "olhe, eu sei que você não acha justo que o seu filho tenha ficado sem um olho, paraplégico e vegetal mental, mas eu pouco me importo se a corrida era legal ou não".

"Vá fazer direcções técnicas de obra e aprenda a vida!"

já as fiz e sei bem o que são. e você, já alguma vez lixou paredes de pladur? ou montou um sistema eléctrico? ou pintou paredes e tecto de pisos inteiros?

experiência (q o ricardo tanto diz q tem) não interessa para nada à ordem, esta está-se a cagar se um licenciado trabalha em arquitectura à 1 ou à 15 anos ou se tem experiência em projecto, licenciamentos, direcção de obra e etc. mas pelos vistos o ricardo acha bem.

"Pode? Técnico municipal é o novo sinónimo de Arquitecto no léxico Português? Há coisas, que apenas vc compreende!"

vai ler a legislação e os concursos que as câmaras publicam ó parvalhão. a ti é q ninguém conpreende.

"Sim pá, porque realmente na abertura de concursos, uma coisa q escasseia é candidatos e entrar na câmara (roll eyes) esta de não ter pessoal suficiente, é o pináculo."

então vá lá ver quantos candidatos é q aparecem nas câmaras do interior. ou Portugal é só Lisboa e Porto e o resto é paisagem?

és mesmo estronço.

mas um estronço bom, pelo q dizes...

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 11 março, 2006) : 

O Ricardo Dias ainda não disse o que acha sobre o parecer do CSOPT.

Gostava de saber a sua opinião sobre o que diz o órgão consultivo do Ministério das Obras Públicas, Trasnportes e Comunicações.

O MOPTC... É tão só a tutela da Ordem dos Arquitectos.

E afirma que a Ordem anda a usurpar poderes ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior!

Vá, deixe-se de tretas e comente o que é pertinente.

Seja um homenzinho.

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 11 março, 2006) : 

E já agora o que achou da Recomendação do Provedor de Justiça.

Sobretudo os pontos 70 a 73 da dita.

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 11 março, 2006) : 

Epá, esse gajo não tem tempo para ler as cenas. Tá muito ocupado com o trabalhinho.

 

Blogger geno said ... (sábado, 11 março, 2006) : 

A minha pequena contribuição está dada:

divulgação da petição em

http://topfloorbottombuzzer.blogspot.com/

(espero enviar dentro de uma ou duas semanas as assinaturas recolhidas por mim)

Ao Corredoura um grande abraço pela incansável luta de muitos anos pelos direitos dos estudantes e licenciados em Arquitectura.
nunca baixou os braços, nunca cedeu ao comodismo e nunca virou a cara à luta, exija ela que se monte tenda na faculdade ou se "piche" a faculdade com a voz da indignação.

Faço votos que seja esclarecido isto em praça pública e que haja justiça no acesso à profissão. E que se faça da Ordem profissional da classe um exemplo de rectidão e idoneidade. Nem que para isso se faça uma limpeza completa de balneário.

Geno

 

Anonymous pedro lopes said ... (sábado, 11 março, 2006) : 

SIM, CONHEÇO VÁRIAS CASOS DE ARQ.TOS. ESTAGIÁRIOS Q GANHAM MAIS D Q EU, COMO ARQUITECTO DE PLENO DIREITO E ALGUNS DELES, EM LX! PORQUÊ? TALVES SEJAM APENAS BONS?

Sr. Ricardo Dias: estas afirmações são suas, e só vêm provar que a qualidade profissional dos arquitectos não está no Curso ou na Universidade, mas sim nos seus interesse e conhecimentos dos actos próprios da profissão de arquitecto.

Como você diz, TALVES SEJAM APENAS BONS?, ou então talvez sejam mais capazes do que você com a sua arrogância.

Se se diz “ARQUITECTO DE PLENO DIREITO” e vê que os outros são melhores do que você, ENTÃO PENSE BEM E NÃO TENTE INTERFERIR COM OS DIREITOS DOS OUTROS.

 

Blogger ... said ... (sábado, 11 março, 2006) : 

"mais um óptimo exemplo do seu pensamento filosófico. ou seja: "legalidade? tou-me a cagar se é legal ou não!" bonito exemplo. espero que os seus filhos cresçam saudáveis e que nunca entrem em corridas de carros ilegais em estradas particulares."

Sim pá, q é q a legalidade assegura? Acha q a porra da sua assinatura, numa direcção técnica de obra (legal), assegura que a obra se faça com o mínimo respeito pelo cliente? Você tem jeito para enganar pessoas? Eu não tenho! Direcções técnicas, ou trabalha-se com pessoas sérias, ou mais vale nem pensar nisso...E os exemplos, são, infindaveis...

"então vá lá ver quantos candidatos é q aparecem nas câmaras do interior. ou Portugal é só Lisboa e Porto e o resto é paisagem?"

Então veja, o rácio de arquitectos (de pleno direito) desempregados e o número de vagas disponíveis nas ditas, e pergunte-se, será assim tão desejável ir trabalhar para "nenhum lado"?

"SIM, CONHEÇO VÁRIAS CASOS DE ARQ.TOS. ESTAGIÁRIOS Q GANHAM MAIS D Q EU, COMO ARQUITECTO DE PLENO DIREITO E ALGUNS DELES, EM LX! PORQUÊ? TALVES SEJAM APENAS BONS?"

Sim, porque quantos de nós, nos podemos arrogar de nos primeiros anos de trabalho, ganhar cerca de 1000 euros por mês, como independentes/recibos verdes. Sim, arq.tos. estagiários, alunos e afins, que só vem provar, que só n arranja trabalho quem n quer...estão-se todos empaturrar para a entrada na ordem, mas todos vem nela, a vã esperança de entrar no mercado de trabalho...
Não tem nada a ver...

"Se se diz “ARQUITECTO DE PLENO DIREITO” e vê que os outros são melhores do que você, ENTÃO PENSE BEM E NÃO TENTE INTERFERIR COM OS DIREITOS DOS OUTROS."

Direitos dos outros? Não reparou que o assunto passa-me ao lado? Vê a minha preocupação? Sabe de algum benefício que a entrada na OA conferiu a minha pessoa?

"O Ricardo Dias ainda não disse o que acha sobre o parecer do CSOPT.

Gostava de saber a sua opinião sobre o que diz o órgão consultivo do Ministério das Obras Públicas, Trasnportes e Comunicações.

O MOPTC... É tão só a tutela da Ordem dos Arquitectos.

E afirma que a Ordem anda a usurpar poderes ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior!

Vá, deixe-se de tretas e comente o que é pertinente.

Seja um homenzinho."

Por favor, querem citações da mais q sabida ilegalidade, q importa isso, se fosse legal era automaticamente justa? O caminho a seguir, nunca poderá ser acabar com o sístema, mas sim colocá-lo em pé de igualdade perante todas as universidades, sem excepção, que dizer da enormidade de pessoas que estagiaram? Epá, valente merda, aquilo não serviu para nada...mas disso não se fala...

 

Anonymous Anónimo said ... (domingo, 12 março, 2006) : 

Ó ricardo dias, táste cagando para a legalidade porque estás do lado que não é prejudicado. Por isso é que fals de arquitectos de pleno direito.

Estás a dividir os cursos e as universidades em duas situações, os de pleno direito e os outros. Já o Hitler falava no pleno direito da raça ariana, e na África do Sul e América falavam nos plenos direitos da raça branca.

Quando anteriormente aparecias no blog, as tuas intervenções eram criticadas entre outras coisas pela sua infantilidade, o actual teor destas denotam que entretanto mudaste o teu discurso para uma situação tipo extremista de direita.

Vai bardamerda e cresce.

 

Anonymous pedro lopes said ... (domingo, 12 março, 2006) : 

É pertinente ver-se que actualmente quem manda, nos países em que as classes dirigentes anunciavam os seus "PLENOS DIREITOS", são aqueles que eram excuidos por não os considerarem detentores dos tais plenos direitos. Acautela-te tu e os boys da Ordem porque aqui poderá vir a acontecer o mesmo.

 

Anonymous serpi said ... (domingo, 12 março, 2006) : 

Sabem porque há tipos como o Ricardo dias, porque existem também pessoas que seguem as conversas deles parem de lhe dar "trela", cada vez que venho consultar o blog só vejo comentários ao que ele escreve, por favor ignorem esse individuo.
(não é a primeira vez que apelo a isto)

Força colegas

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 13 março, 2006) : 

realmente para quê dar trela a um crianção como o ricardo dias, não vale a pena descer ao seu nível, mais vale ignorá-lo

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 13 março, 2006) : 

ele q s preocupa tanto com a remuneração q vá perguntar à OA porque é que os estágios profissionais n são remunerados.

"Então veja, o rácio de arquitectos (de pleno direito) desempregados e o número de vagas disponíveis nas ditas [câmaras do interior], e pergunte-se, será assim tão desejável ir trabalhar para "nenhum lado"?"

quem é q tem a culpa de os arquitectos desempregados estarem precisamente desempregados porque se recusam a ir trabalhar para "lado nenhum"? OS PRÓPRIOS!!!

a malta gosta é de esperar q lhes caia a taluda lá do céu! eu deixei lisboa e fui trabalhar para o Algarve. porquê? porque havia um ateliêr a precisar de gente, concorri, fui aceite e fiz-me à vida!

e ao contrário do q diz o Ricardinho, há muitos arquitectos honestos, q fazem as coisas com rigor e q não entram em jogatanas com empreiteiros, donos de obra e outros bichos q pululam em redor da direcção técnica de obra, q pagam e pagam a horas e q não colocam os "putos novos" apenas a dobrar folhas e a tirar cópias.

fiz de tudo: de projectos de execução a planos de pormenor, de projectos de licenciamento a planos de urbanização, de levantamentos a corte e dobragem de folhas. tenho colegas q em 3 anos de trabalho nunca sairam dos projectos de execução...

tudo isto porque não esperei que o mercado me viesse buscar. fui atrás do mercado, onde sabia q teria mais hipóteses do q na capital sobrelotada.

este Ricardo Dias é o típico "velho do Restelo". esses acabaram por calar-se. este também está prestes a ser calado.

 

Anonymous Magg said ... (segunda-feira, 13 março, 2006) : 

Não percebo um cu do que o tal Srº Ricardo Dias escreve.

 

Anonymous xelb said ... (segunda-feira, 13 março, 2006) : 

Será verdade que existem alguns colegas duma faculdade reconhecida já são membros efectivos da Ordem?
Esta chegou-me aos ouvidops

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 13 março, 2006) : 

É verdade!
Membros efectivos de pleno direito!
A Ordem tem estado a inscrever colegas de universidades com cursos reconhecidos.
Era o que deveria ter feito desde o início; só peca pela demora! Claro que isto tem consequências, como não poderia deixar de ser.
Isto de inscrições "à la carte", que como se vê, dependem apenas do estado de espírito do Conselho Nacional de Admissão e não de regras legais e igualitárias terão o seu momento e lugar próprios para serem devidamente justificadas e assumidas pelos seus responsáveis.

Felicito os agora inscritos porque afinal a luta tem valido a pena e a Ordem está a perceber finalmente que é este o único caminho que lhe resta antes de tudo se desmoronar.

Quero só lembrar que a PETIÇÃO que está a decorrer é muito importante. A meta são 10.000 assinaturas.
Eu já tenho cerca de 200.

Um abraço a todos os que lutam pela justiça e pela legalidade!

 

Anonymous Anónimo said ... (segunda-feira, 13 março, 2006) : 

Quem é que pode explicar com mais pormenor o que se está a afirmar da entrada na ordem de colegas de escolas reconhecidas?

 

Blogger ... said ... (segunda-feira, 13 março, 2006) : 

72 comments...isto é o efeito ricardo dias...logo eu, sujeito anódino...

"Ó ricardo dias, táste cagando para a legalidade porque estás do lado que não é prejudicado. Por isso é que fals de arquitectos de pleno direito."

Jovem, eu tb tive um ano, a ganhar abaixo do ordenado mínimo nacional, o tal estágio ilegal...e sim, fui bem chupadinho. Eu n dividi patavina, apenas falei de arquitectos de pleno direito (membros efectivos da ordem)...venham eles de onde vierem!

"É pertinente ver-se que actualmente quem manda, nos países em que as classes dirigentes anunciavam os seus "PLENOS DIREITOS", são aqueles que eram excuidos por não os considerarem detentores dos tais plenos direitos. Acautela-te tu e os boys da Ordem porque aqui poderá vir a acontecer o mesmo."

Pedro lopes, mais inconsequente que as suas ameaças, só mesmo as suas palavras, é que não dizem nada pá...explane lá melhor sff, não se acanhe com exercícios de retórica...vem para aqui com situações afins da chamada "luta de classes"...q ridículo pá!

"e ao contrário do q diz o Ricardinho, há muitos arquitectos honestos, q fazem as coisas com rigor e q não entram em jogatanas com empreiteiros, donos de obra e outros bichos q pululam em redor da direcção técnica de obra, q pagam e pagam a horas e q não colocam os "putos novos" apenas a dobrar folhas e a tirar cópias."

Pois há, eu agora trabalho para engenheiros, nunca fui tão feliz! (lol)

"este Ricardo Dias é o típico "velho do Restelo". esses acabaram por calar-se. este também está prestes a ser calado."

Tenho pena de si, não precisei de ir para o Algarve, para arranjar trabalho...calado, não repara como me sinto afectado com isto tudo? Não repara, como eu temo deverás a concorrência? (VOSSA, AINDA POR CIMA), para mim, quantos mais arquitectos melhor...venham eles, nunca tive esta coisa de elitismo de classe...

Não sei porquê, tudo isto tem qualquer coisa de rebeldia inconsequente...(e sim, dá-me um gozo do catano)

 

Anonymous Serpi said ... (segunda-feira, 13 março, 2006) : 

ricardo dias respondendo ao teu estilo chupa-mos, que se lixe a conduta, não há quem te aguente poluis o blog com sitações não percebo nado do que dizes e também não interessa um peido e só quero chegar ao blog e ler noticias de dissem respeito à discriminação tudo o resto não me interessa, sabes que mais cria um blog teu são de graça....................
ah e sim vejo a porcaria do levantate e ri..............

 

Anonymous serpi said ... (segunda-feira, 13 março, 2006) : 

e dou erros e sei corrijir só não me apetece

 

Blogger ... said ... (terça-feira, 14 março, 2006) : 

lol

 

Blogger ... said ... (terça-feira, 14 março, 2006) : 

temper temper "serpi"!

 

Anonymous Anónimo said ... (quarta-feira, 15 março, 2006) : 

Para o Ricardo Dias - estiveste um ano a ganhar menos que o salário mínimo porque podes.

 

Anonymous Vasco Pinto said ... (quarta-feira, 22 março, 2006) : 

Vocês faziam um favor a todos em continuar essa vossa "discussão" noutro lado, não estão a contribuir em nada para o objectivo deste blog.

O número de comentários não reflecte nenhum 'efeito' ricardo dias... até porque a maioria do pessoal nem sequer lê o que é escrito por e para o ricardo.

 

Blogger ... said ... (quarta-feira, 22 março, 2006) : 

Caro Vasco, você é mais uma vítima do efeito "Ricardo Dias", não reparou como desperdiçou um belo "comment" a não contribuir nada...

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 março, 2006) : 

oh ricardinho, já assinaste a petição?

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 março, 2006) : 

Não queremos merda a assinar a petição. Deixem-no estar.

 

Blogger ... said ... (quinta-feira, 23 março, 2006) : 

Que gozo!

(devil)

 

Blogger Pedro said ... (quinta-feira, 23 março, 2006) : 

Ricardo Dias, para Bastonário da Ordem dos Arquitectos!!

 

Blogger ... said ... (quinta-feira, 23 março, 2006) : 

Ora ai está uma proposta com pés e cabeça...

 

post a comment