terça-feira, novembro 21, 2006

GOVERNO ALTERA PROPOSTA 73/73

via http://www.ordemdosarquitectos.pt/


20.11.06


Recebemos hoje do Presidente do IMOPPI, Engº Ponce de Leão, com data de sexta-feira passada, uma nova versão da proposta de revisão do decreto 73/73, elaborada após audição de todos os intervenientes e sob coordenação do Secretário de Estado das Obras Públicas, Dr. Paulo Campos.

A Ordem dos Arquitectos congratula-se com o facto de esta nova versão ter rejeitado a hipótese, prevista em versão anterior, de entregar a não arquitectos a possibilidade de realização de projectos de arquitectura, para edifícios com áreas inferiores a 400 m2.

Reservamos para o nosso Congresso, a realizar já esta semana, a apresentação de um parecer mais detalhado sobre esta proposta do governo. Mas não podemos deixar desde já de nos congratular com ela, após toda a insistência que temos posto na resolução deste problema. Há que recuperar o atraso do processo legislativo parado na Assembleia da República, desde a aprovação, em Maio deste ano, da iniciativa legislativa de cidadãos por nós promovida, sob o lema “Arquitectura: um direito dos cidadãos, um acto próprio dos arquitectos.”

Independentemente das sugestões que não deixaremos de fazer no prazo solicitado ( 48 horas ), consideramos a nova versão recebida hoje do IMOPPI como uma boa base de trabalho para se vir finalmente a revogar uma disposição legal e obsoleta, para imprimir ao sector uma nova exigência de qualidade e responsabilidade e para reconhecer aos arquitectos o direito a fazer arquitectura.

Nova versão da proposta de revisão do decreto 73/73

Comments on "GOVERNO ALTERA PROPOSTA 73/73"

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (quinta-feira, 23 novembro, 2006) : 

Todo o mundo se calou!....

Acabaram-se os problemas dos arquitectos.....!!!

Nem se fala da OA nem nada....!!!

Parece que a perspectiva de revisão do 73/73 a contento do pessoal deu em moleza...!!!

Digam lá qualquer coisa... manifestem satisfação.... solidariedade para com a Roseta....!!!

Ou então o desânimo é de tal natureza que já nem notícias destas animan a malta...!!!

Nada de fiar... de repente ainda alteram tudo .... e só os engenheiros é que podem fazer arquitectura....!!!???

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 novembro, 2006) : 

O que tu queres sei eu!

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (quinta-feira, 23 novembro, 2006) : 

Se sabes porque não te identificas...!!!!

Seria interessante...!!!

Qualquer humano tem o direito de opinar sobre o que entender e como entender, desde que assuma de cara destapada as suas opções... E por certo as minhas não serão diferentes das da maioria das pessoas, desde que os meios e as pretensões sejam legítimas e razoáveis.... e que eu saiba a maioria de nós é isso mesmo que pretende....!!!

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 novembro, 2006) : 

Muito bem. Também acho que ninguém dede criticar sem dar a cara.Assim é cobardia.

Já li o ante-projecto e acho que tem pernas para andar. No entanto 5 anos de transição para os ATAE acho muito. Três chagavam perfeitamente. Mas pelo menos alguma coisa é clarificada. Só espero que seja aprovado rapidamente.

Cumprimentos

 

Anonymous Anónimo said ... (quinta-feira, 23 novembro, 2006) : 

O diploma do Curso de Construtor Civil Especialização, criado pelo Despacho Normativo nº 142/84, de 22 de Agosto, onde se define que o perfil profissional dos titulares é “estudar, projectar, fiscalizar trabalhos de engenharia, arquitectura, construção civil e instalações técnicas que exijam a

aplicação de técnicas correntes, situadas ao nível da sua formação média em construção civil” ?



O diploma do Curso Técnico Profissional de Construtor Civil, criado pela Despacho Normativo nº 170/85, onde se define que após a conclusão do mesmo os titulares podem “estudar, projectar e fiscalizar trabalhos de engenharia, arquitectura, construção civil e instalações técnicas” ?



O diploma do Despacho Normativo nº 84/85, de 29 de Agosto, onde se define que os titulares do Curso de Especialização de Construtor Civil são “capazes de estudar, projectar e fiscalizar trabalhos de engenharia, arquitectura, construção civil e instalações técnicas” ?


A apresentação deste texto não tem como objectivo acender polémica sobre quem tem ou não competencias para assinar projectos. Não concordo com a actual situação, mas não posso deixar de discordar da maneira como esta revisão está a ser encaminhada.
Se os ATAES tiraram a sua formação, foi porque existiam normas legislativas que regulamentavem a sua formação. Em cima, a introdução está bem explicita sobre as competencias que os ATAEs têm com a sua formação. Nada lhes foi dado por decreto.
Se era a formação correta isso é outra coisa.

Sou Arquitecto e ATAE, portanto sei bem do que falo.

Sendo este blog, um espaço de contestação, apresentação de ideias e de pontos de vista, não podia deixar de estar calado.
O problema da má arquitectura, não é dos ATAEs, pois são uma minoria e dão a cara pelo que fazem.
Ainda não ouvi nenhum comentário dos desenhadores das camaras, em que muito deles têm arquitectos a lhes assinarem os projectos, nem dos arquitectos das camaras que têm outros arquitectos a lhes assinarem os projectos.A estes, a vida será certamente mais facilitada que á dos ATAes, mas os ATAEs dão a cara, os outros não.

Para os que estão convencidos, que a alteração do 73/73 lhes vai trazer trabalho, não se iludam,nem fiquem á sombra da bananeira, porque o trabalho não cai do ceu. Primeiro têm que mostrar o que valem, se é que valem alguma coisa...

 

Anonymous Pinto Coelho said ... (quinta-feira, 23 novembro, 2006) : 

E lá continuamos com "o anónimo" até assumirmos identidade somos sempre anónimos....!!!

Porque é que cada um não coloca um nome, nem que seja pseudónimo...!!!

Assim saberíamos que essa pessoa estava identificada...!!!

 

Anonymous arq! said ... (sexta-feira, 24 novembro, 2006) : 

Epá será que ainda não percebeste que um Técnico Profissional de Construtor Civil não tem qualificação para fazer arquitectura? Até mesmo arquitectos fazem merda da grande então imagine-se estes técnicos!

"No entanto 5 anos de transição para os ATAE acho muito"

pah isso já não concordo, estes profissionais embora tenham a sua missão definida, merecem ter a inoportunidade de poderem optar pela sua formação quer na área da engenharia ou arquitectura.

Acho que estes mesmo técnicos de construção e os respectivos cursos deviam de ser orientados para a execução das construções, visto haver uma enorme falta de formação enorme nesta área.

Hoje em dia qualquer um vira construtor, pode não saber ler nem escrever ou até mesmo ler um projecto ele vai ao IMOPPI paga e vira construtor na nossa sociedade.

 

Anonymous KHORA said ... (sexta-feira, 24 novembro, 2006) : 

Num país como o nosso existem cerca de 90 empresas de construção "licenciadas" pelo IMOPPI para grandes construções (alvará máximo).

Daquelas que quando há uma crise, fecham e mandam trabalhadores para a rua, que retiram a maquinaria para abrir outra empresa igual com um nome diferente, que fazem carrossel com o IVA, para abater impostos, que ganham concursos de concepção construção (ou lá o que seja isso), que oferecem património aos presidentes e arquitectos camarários, que patrocinam campanhas, não declarando os cartazes, canetas e t-shirts que oferecem aos partidos.

As mesmas que conseguem desembargar obras num fim de semana, que oferecem recuados, que dão subempreitadas para fugirem à responsabilidade, que têm projectos aprovados onde passam obras públicas (TGV) para depois pedirem indeminizações, que acordam um preço e cobram o dobro ou o triplo do custo inicial da obra.

Aquelas que conseguem aprovações de projectos gigantescos em área em tempo record, que dão os projectos aos técnicos que vão avaliá-los, que vão para tribunal para não pagar taxas de construção, que conseguem mudar PDM's (para criar emprego), que conseguem construir em zonas como REN, RAN ou rede natura, que constroem sob pressão dos bancos para pagar os empréstimos que contraíram, que fazem consórcios e criam empresas novas para fugirem às responsabilidades, as mesmas que fazem estudos para obras públicas e para os governos.

Ou serão aquelas que compactuam com arquitectos de renome para aprovar projectos mégalomanos, que patrocinam congressos da ordem dos arquitectos e com a ordem dos engenheiros, que oferecem mão de obra para as obras "LÁ EM CASA", que fiscalizam obras que eles próprios promovem, ou que pagam aos fiscais camarários que as fiscalizam, que conseguem "fazer leis".

Já sei vão dizer que, "Se sabes isso denuncia.", eu pergunto logo de seguida para quê, não sou do ministério público e mesmo que fosse e existissem provas, estas vão para o fundo de uma gaveta qualquer num arquivo com toneladas de queixas que caiem em saco roto.

Afinal o que é ser técnico, ganhar dinheiro a todo o custo ou ter brio profissional?

Deve ser ganhar dinheiro a todo o custo e fazer grandes obras, para desse modo ser conhecido na praça pública (daquelas praças que são um vazio de conceitos e não contêm nada a não ser o chão onde se implantam) e tornar-se intocável.

Isto meus amigos, quer queiram quer não é a arquitectura em Portugal.
Sou arquitecto, já trabalhei numa grande empresa de construção e comigo não há assinaturas de conveniência, não há exploração de estagiários, não há compadrios camarários, não há exploração de ilegais (claro que fui dispensado), mas acreditem ou não, prefiro morrer "teso" mas honrado, a compactuar com a realidade em que estou inserido.

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 25 novembro, 2006) : 

Nota ver: http://www.rtp.pt/index.php?article=225109&visual=16

A Ordem dos Arquitectos afirma que em causa está "a má qualidade da arquitectura e da construção, o desordenamento do território e a excessiva permeabilidade às pressões dos lóbis".
RTP
Estas as palavras da Exma Sra Arqta Bastonaria da Ordem dos Arquitectos...

Muito bem tenho que lhe retirar o chapeu e dar-lhe os meus parabens finalmente alguem com o minimo de bom senso falou verdade na realidade tem muitos "monos" muitas obras e trabalhos mal pensados e "inspirados" de forma vergonhosa alem de projectos mal elaborados que depois são embargadas as obras por nao respeitar o PDM por não respeitar indices de construção, afastamentos cercias e eu sei la que mais.

Estou, Exma Srª Dª. Arqtª Bastonaria da Ordem dos Arquitectos, obviamenente a falar de grandes obras que não podem ser assinadas por ATAEs, ou seja de trabalhos executados por arquitectos profissionais qualificados para o efeito, no entanto na minha opinão, ou seja na minha humilde e pequenina opinião, não se vai julgar uma inteira classe por meia duzia de trabalhos feitos por maus profissionais.

A Exma Srª. Dª.Arqtª Bastonaria Tambem afirma na mesma entrevista " os projectos que dão entrada nas Camaras são projectos efectuados por desenhadores..." Deixe que eu por minha humilde pessoa lhe possa esclarecer tambem um ponto, a EXma Srª Dª Arqtª concerteza não vai usar chamar um Arquitecto de ATAE...pois então para que conste tambem não deve chamar um ATAE de Desenhador os projectos que são assinados e que dão entrada nas Camaras são assinados por Arquitectos ou ATAE's...Certo???

A arquitectura deve ser feita por arquitectos, tal como a medicina deve ser exercida por médicos e a advocacia por advogados",
RTP

Ilustres palavras da Exma Srª "Iluminada" Dª. Bastionaria da Ordem dos Arquitectos
Como poderemos discordar de tão profunda elaborada e iluminada afirmação...penso até que ficara afixado para a posteridade...Ou será por outras palavras o que a Exma Srª. Dª. Artqª. Bastonaria quis dizer foi " CADA MACACO NO SEU GALHO" como vê não esta a inventar nada e como quis e bem afirmar quem esta a querer ocupar outro galho indevidamente são V. Exas.
Bem Haja !!!!!!!

 

Anonymous Anónimo said ... (sábado, 25 novembro, 2006) : 

que medo!!!!llolololololololololololololololololollolololololololololololollolololol:);):):);):):):):):)

 

Anonymous Monica said ... (sexta-feira, 01 dezembro, 2006) : 

É isso aí Khora: a honra em primeiro lugar. Muita gente fala, mas na hora de explorar estagiários e ganhar dinheiro para assinar projectos que não conhecem, são os primeiros!
Existem muitos erros que devem ser corrigidos mas falsa moral é demais!
Ah! Anonimato também! Escondem o que?

 

post a comment